OPINIÃO
17/06/2020 15:17 -03 | Atualizado 17/06/2020 15:17 -03

Drive-in: Nosso guia de sobrevivência para ir ao cinema na pandemia

Testamos a nova (antiga) maneira de pegar um cineminha.

Desde que a pandemia do coronavírus explodiu no mundo todo, muitos hábitos mudaram. Todos, mesmo aqueles que não podem ficar isolado em casa e precisam sair para trabalhar, têm de se adaptar ao “novo normal”. Pensar em sair para se divertir então... Mas um dos setores mais atingidos por essa crise sanitária, as salas de cinema, buscou no passado uma solução: o retorno do drive-in

Muito populares entre as décadas de 1950 e 1970, esses grandes espaços onde você assiste a filmes dentro do seu carro voltaram com tudo em 2020. Só em São Paulo já são três ativos. Na capital paulista e no Rio de Janeiro, dois deles passam a funcionar a partir desta quarta (17), o carioca Drive-In das Artes, na Cidade das Artes, e o paulistano Belas Artes Drive-in, no Memorial da América Latina.

Convidado pelo Belas Artes, uma das salas de cinema mais tradicionais de São Paulo, fui ao Memorial testar essa “novidade retrô” e aproveito para contar minha experiência, dando dicas para que você, caso se interesse por um sessão desse tipo, possa curtir ao máximo o programa.

Rafael Argemon
Telão instalado no Memorial da América Latina, em São Paulo.

Para começar, vale explicar que cada drive-in tem seu jeito de fazer as coisas. Alguns deles disponibilizam aplicativos que você usa para comprar comes e bebes e até para formar fila para ir ao banheiro. No caso do Belas Artes, não é assim. Você precisa comprar as guloseimas quando compra seu ingresso online. Com isso, todos os lanchinhos estarão já separados em saquinhos e são entregues a você assim que você entra no drive-in. 

Para ir ao banheiro, aqui você precisa ligar o pisca-alerta. Um dos funcionários do local te acompanhará até lá. Com o devido distanciamento, claro.

E é aí que entram as duas primeira dicas: Leve o lanche de casa e vá ao banheiro antes de sair de casa. Se você não faz questão da pipoca quentinha, faça como muita gente fazia antes quando ia ao cinema e queria dar aquela economizada esperta, leve aquela sacola de guloseimas que você comprou bem mais em conta em outro lugar. 

Sobre a pausa para o xixi, não importa o sistema que o drive-in use, você vai perder um tempão para ir ao banheiro nesses lugares, que são bem abertos e tudo fica longe. Isso sem falar de todo o processo de fila por aplicativo ou assistência de um funcionário do drive-in.

Rafael Argemon
Pipoca de máscara, o "novo normal".

Bom, agora vamos para a sessão propriamente dita. O esquema de som por meio de uma estação no rádio FM é ótimo. O som é muito bom e não fica vazando de carro para carro. Ainda mais na pandemia, em que todo mundo deixa os vidros fechados.

É, mas é exatamente por conta dos vidros fechados que começa o primeiro perrengue. O vidro da frente do carro começa a embaçar. Ou seja, dica número 3: Deixe pelo menos uma frestinha dos vidros laterais aberta para o ar circular.

Outra dica importante: Cuidado com a bateria do carro. Manter o carro ligado durante as duas ou mais horas que você terá de passar no drive-in pode arrear a bateria. Esse problema é tão comum que alguns desses drive-ins possuem até equipes de mecânicos.

Sobre a imagem não tem muito o que falar. Pelo menos o telão usado no Belas Artes Drive-in é bem grande e muito bom. Mas... Bom, sempre tem um “mas”. Dependendo da configuração do vidro da frente de seu carro e da posição em o veículo estiver estacionado, você terá de se contorcer para encontrar a posição ideal para ver a tela toda com conforto.

Como estava em um carro alto, ele teve de estacionar em uma área lateral, ou seja, não vi o telão de frente, mas na diagonal. Isso me forçou a abaixar o banco o máximo possível e ter de ver o filme quase deitado. Situação que nos leva à próxima dica: Leve um travesseiro ou almofada. Acredite, eles serão MUITO úteis nesse momento. 

Divulgação
Encontrar a melhor posição para ver o filme pode ser um problema, principalmente para o seu bico de papagaio.

Essa última dica vem acompanhada de outra: Vá com roupas confortáveis. Ficar dentro de um carro parado por algumas horas pode ser bem desconfortável e tudo fica ainda mais complicado se você está usando roupas que te incomodam. Você não vai sair do carro mesmo. Vale moletom folgado, aquela camiseta que você usa de pijama, chinelo de dedo... Priorize o conforto.

Dito isso, é sempre bom poder sair para curtir umas horas de lazer com quem você ama. Mesmo que não seja daquela maneira que a gente sonha. 

É claro que assistir um filme em um drive-in não é como em uma sala de cinema. Há até algumas vantagens. Você não vai se incomodar com gente que fica falando durante o filme, atendendo o celular, usando o aparelho para ver as horas ou dar aquela checada nas redes sociais, mas a imersão não é a mesma.

No entanto, é o que temos para hoje. O “novo normal” chegou para ficar e nós temos de nos adaptar. Em um momento com esse, a diversão pode ser muito mais importante do que você imagina.