NOTÍCIAS
26/01/2020 13:41 -03 | Atualizado 26/01/2020 17:20 -03

Minas contabiliza mais de 30 vítimas devido às chuvas e entra em 'estado de emergência'

Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da cidade, desde o início da medição climatológica há 110 anos.

ASSOCIATED PRESS
Vista de casas inundadas por fortes chuvas no município de Sabará, Minas Gerais, Brasil, sexta-feira, 24. 

Pelo menos 37 pessoas já morreram e 25 estão desaparecidas em Minas Gerais em razão das chuvas que atingem o Estado nos últimos dias, de acordo com informações atualizadas da Defesa Civil mineira neste domingo (26).

De acordo com o boletim mais recente, há 58 municípios afetados, com 13.687 pessoas desalojas e 3.354 pessoas desabrigadas. Belo Horizonte, com oito vítimas, é a cidade com maior número de mortes.

O governo de Minas Gerais declarou situação de emergência em 47 cidades, citando “intensas precipitações pluviométricas que atingiram os municípios, causaram múltiplos desastres –inundações, movimentos de massa, enxurradas e alagamentos”.

ASSOCIATED PRESS
Moradores trabalham para limpar a lama e os detritos em torno das casas destruídas por um deslizamento de terra após fortes chuvas no bairro Vila Ideal, município de Ibirite, Minas Gerais.

Em decreto no Diário Oficial do Estado, ele autorizou a mobilização de todos os órgãos estaduais para atuarem sob a direção da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, nas ações de resposta ao desastre, incluindo a dispensa de licitação de “contratos de aquisição de bens necessários às atividades de resposta ao desastre, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação dos cenários afetados”.

De acordo com informações da GloboNews, após sobrevoar áreas atingidas, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, está reunido com o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, neste começo de tarde, para discutir novas medidas de apoio federal para respostas aos desastres naturais.

Cristiane Mattos / Reuters
Equipes de resgate pesquisam o local de um deslizamento de terra, após fortes chuvas no bairro Vila Ideal, em Belo Horizonte.

De acordo com informações do portal G1, citando o Inmet, Belo Horizonte teve o dia mais chuvoso da história da cidade, desde o início da medição climatológica há 110 anos. Em 24 horas, de quinta a sexta-feira (24), o acumulado de chuva chegou a 171,8 milímetros em Belo Horizonte.

Os Estados do Espírito Santo, onde já foram registradas mortes, e do Rio de Janeiro também foram afetados pelas chuvas.

Vale eleva alerta de barragem na região

A Vale elevou o nível de alerta da Barragem Sul Inferior, da Mina Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), citando as fortes chuvas na região.

“Em razão das fortes chuvas na região, ocorreu uma erosão na parte interna do reservatório da estrutura, que se mantém estável”, afirmou a companhia em comunicado no sábado, quando disse que acionou o nível 2 do Plano de Ação de Emergência.

A empresa disse que as pessoas residentes na Zona de Autossalvamento (ZAS) já haviam sido realocadas para locais seguros em fevereiro de 2019, quando a Barragem Sul Superior foi colocada em nível 2.

“A Barragem Sul Inferior é uma contenção de sedimentos, construída em etapa única, considerado um dos métodos construtivos mais seguros”, disse a Vale.

A mineradora disse que, embora apresentasse estabilidade, a estrutura encontrava-se em nível 1 porque está localizada a jusante da Barragem Sul Superior, que se mantém em nível 3 - o mais alto, quando a ruptura é iminente ou já está ocorrendo.

O comunicado da Vale foi divulgado um ano após o rompimento de uma barragem em Brumadinho, também em MG, que matou mais de 250 pessoas em um dos maiores desastres mundiais do setor de mineração.