NOTÍCIAS
11/02/2020 10:08 -03

Após dia de caos, São Paulo amanhece com chuva fraca e marginais reabertas para trânsito

Rodízio de carros permanece suspenso nesta terça-feira (11). Volume de chuvas nos 10 primeiros dias de fevereiro equivale a 96% do esperado para o mês na capital paulista.

Após um dia de intenso temporal que provocou alagamentos em toda a cidade, São Paulo amanheceu nesta terça-feira (11) com chuvas fracas.

O Corpo de Bombeiros não registrou ocorrências graves durante a madrugada. Mas, segundo o governo do estado, já foram contabilizadas 142 pessoas desabrigadas e outras 516 desalojadas por conta das fortes chuvas. 

De acordo com o último boletim publicado pela corporação, no final da noite da última segunda-feira (10), a capital registrava 1.043 pontos de enchentes, 193 desmoronamentos e 219 quedas de árvores.

Trânsito em SP está abaixo da média após chuvas

Contudo, o trânsito na capital nesta terça está abaixo da média esperada para a cidade, apesar de o rodízio de veículos continuar suspenso.

As marginais Tietê e Pinheiros foram reabertas para os carros após sofrerem interdições que duraram diversas horas devido à quantidade de água na pista.

ASSOCIATED PRESS
Marginais ficaram alagadas por conta de temporais.

No início do dia, a capital paulista, porém, ainda permanecia com um ponto de alagamento intransitável entre as avenidas Mofarrej e Dr. Gastão Vidigal, no bairro da Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo. 

A avenida Mofarrej só foi liberada para trânsito por volta das 9h45 da manhã.

O metrô opera normalmente na capital, de acordo com informações da CPTM. Apenas a linha 9 - Esmeralda está com velocidade reduzida.

 

Temporal provoca caos em São Paulo

ASSOCIATED PRESS

De acordo com informações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), as chuvas em São Paulo devem continuar até a quarta-feira (12), mas em menor quantidade. Serão dias de chuvas esparsas e nublados.

Na segunda-feira, a capital registrou o segundo maior volume de chuvas para o mês de fevereiro em 77 anos.

As marginais Pinheiros e Tietê ficaram intransitáveis em diversos pontos depois que os rios transbordaram.

Moradores ficaram ilhados, aulas foram suspensas, creches interditadas e a orientação do Corpo de Bombeiros foi para que os paulistanos evitassem sair de casa. 

ASSOCIATED PRESS

As precipitações começaram ainda na madrugada de segunda e continuaram ao longo de todo o dia.

No final da tarde, o volume contabilizado nos 10 primeiros de fevereiro equivaliam a 96% do esperado para todo o mês na capital.

ASSOCIATED PRESS

De acordo com levantamento da Folha, os prejuízos da chuva podem ultrapassar os R$ 140 milhões de reais.

O comércio de shoppings e lojas foi impactado, assim como bares e restaurantes. Empresas perderam estoques de materiais e diversos estabelecimentos tiveram o seu funcionamento afetado por conta da chuva.

A Ceagesp, que é a maior central de abastecimento de alimentos da América Latina, ficou alagada. Isso ocasionou a perda de alimentos e produtos, que podem impactar o abastecimento da cidade nos próximos dias.