COMIDA
06/08/2019 16:35 -03 | Atualizado 06/08/2019 23:27 -03

Pessoas que comem chocolate amargo têm menos chances de ter depressão, diz estudo

Aqueles que comem chocolate amargo tiveram uma redução de até 70% do risco de apresentar sintomas de depressão.

1111IESPDJ via Getty Images

Comer chocolate amargo pode ser positivo para o humor e aliviar os sintomas da depressão, revelou um novo estudo realizado por pesquisadores da inglesa University College London (UCL). 

O estudo, publicado no periódico Depression and Anxiety, é o primeiro a examinar a associação entre o consumo de diferentes tipos de chocolate e a depressão, doença que atinge mais de 11 milhões de brasileiros. 

Em conjunto com órgãos de Saúde do Canadá e dos Estados Unidos, os cientistas analisaram dados de mais de 13,6 mil adultos. 

Eles descobriram que aqueles que reportaram consumir chocolate amargo tiveram um risco reduzido em 70% de apresentar sintomas de depressão do que aqueles que disseram não comer chocolate.

Além disso, aqueles que comeram qualquer tipo de chocolate (branco, ao leite e amargo) também tiveram menores chances de relatar sintomas depressivos em comparação a aqueles que não comiam nenhum chocolate. 

O chocolate amargo contém diversas substâncias psicoativas que produzem sensação de bem-estar e euforia. Segundo pesquisas, ele aumenta os níveis de serotonina, hormônio ligado ao prazer e bem-estar, é rico em flavonóides, potentes antioxidantes e agentes anti-inflamatórios presentes no cacau, e ainda contém feniletilamina, um importante hormônio que ajuda a regular o humor. 

Um outro estudo publicado pela Linda University Health, nos Estados Unidos, informou que o consumo de chocolate amargo tem efeitos positivos na saúde cerebral, diminuindo os níveis de estresse e inflamações. O chocolate amargo também pode melhorar o humor, a memória e até a imunidade.

Nutricionistas e médicos recomendam um consumo diário de uma porção de 40 gramas ― mas o chocolate precisa ter, no mínimo, 70% de cacau na composição.

“Este estudo fornece algumas evidências de que o consumo de chocolate, principalmente o amargo, pode estar associado a uma redução na probabilidade do desenvolvimento de sintomas da depressão”, disse ao ScienceDaily uma das autoras do estudo, Sarah Jackson, do Instituto de Epidemiologia da UCL.

No entanto, Jackson pondera que são necessárias mais pesquisas para esclarecer essa direção de causalidade. “Pode ser que a depressão faça com que as pessoas percam o interesse em comer chocolate, ou pode haver outros fatores que tornam as pessoas menos propensas a comer chocolate amargo e ficarem deprimidas”, questionou a pesquisadora.