ENTRETENIMENTO
22/05/2019 12:47 -03 | Atualizado 22/05/2019 13:55 -03

Chico Buarque ganha o Camões 2019; veja os brasileiros que já foram premiados

Compositor carioca é o primeiro músico a receber o principal troféu de literatura em língua portuguesa.

Reuters
Chico Buarque recebeu honraria nesta terça (21) pelo conjunto da obra. 

O compositor, cantor, dramaturgo e escritor carioca Chico Buarque, 74 anos, é o ganhador do 31º Prêmio Camões. O prêmio foi concedido na terça-feira (21) e levou em consideração o conjunto da produção literária do artista.

Considerado o principal prêmio de literatura em língua portuguesa, o Camões foi instituído em 1989 pelo Brasil e por Portugal. De acordo com o Ministério da Cultura de Portugal, a escolha reconhece anualmente “escritor cuja obra contribua para a projeção e o reconhecimento da língua portuguesa”.

Chico Buarque estreou como escritor de ficção em 1974, com a novela Fazenda Modelo. Em 1979, publica o livro infantil Chapeuzinho Amarelo. O primeiro romance, Estorvo, foi lançado em 1991. Quatro anos depois lança o segundo Benjamin. Em 2003, publica Budapeste; em 2009, Leite Derramado e em 2014, Irmão Alemão. Ele escreveu as peças de teatro Roda Viva (1968); Calabar (1972); Gota D’Água (1974), e Ópera do Malandro (1978).

O autor é o 13º brasileiro a receber o prêmio que já foi conferido, entre outros, a Raduan Nassar (2016), Ferreira Goulart (2010), Lygia Fagundes Telles (2005), e Jorge Amado (1994). Veja abaixo a lista completa.

A premiação foi anunciada pela Biblioteca Nacional pelas redes sociais. O júri da 31ª edição do Prêmio Camões se reuniu na sede da biblioteca no Rio de Janeiro nesta terça-feira. Chico Buarque vai receber 100 mil euros pelo prêmio.

O júri foi formado por Manuel Frias Martins, professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e presidente da Associação Portuguesa de Críticos Literários; Clara Rowland, professora associada da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Antonio Cícero, ensaísta brasileiro e poeta; Antonio Hohlfeldt, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul; Ana Paula Tavares, poeta angolana e professora universitária em Lisboa (Angola); Nataniel Ngomane, professor da Faculdade de Letras e Ciências Sociais da Universidade Eduardo Mondlane em Moçambique.

 

Os 12 antes de Chico

João Cabral de Melo Neto (1920-1999) – O poeta pernambucano foi o primeiro brasileiro a ganhar o Prêmio Camões, em 1990. Entre seus principais livros estão Morte e Vida Severina, A Educação Pela Pedra e Cão Sem Plumas.

Rachel de Queiroz (1910-2003) – A escritora cearense foi a primeira mulher a ganhar o Camões, em 1993. Memorial de Maria Moura e As Três Marias estão entre os principais livros de Raquel, que também foi tradutora e jornalista

Jorge Amado (1912-2001) – O autor baiano foi premiado em 1994. Amado é um dos autores brasileiros mais traduzidos e tem diversas obras populares, incluindo Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tieta do Agreste e Tenda do Milagres.

Antonio Candido (1918-2017)Formação da Literatura Brasileira e Literatura e Sociedade são consideradas duas das principais obras do escritor, crítico literário e sociólogo carioca, que foi premiado com o Camões em 1998.

Autran Dourado (1916-2012) – Autor de mais de uma dezena de romances, ensaios e livros de contos, Dourado recebeu o Camões em 2000. O Risco Bordado e Os Sinos da Agonia são obras premiadas do autor mineiro.

Rubem Fonseca – Um dos contistas mais celebrados da literatura brasileira, Rubem Fonseca recebeu o Camões em 2003. Com romances que retratam a violência urbana, ele é autor de obras populares como Agosto e A Grande Arte.

Lygia Fagundes Telles – Também conhecida como “a dama da literatura brasileira”, a escritora paulistana foi homenageada com o Camões em 2005. Entre os romances mais conhecidos dela estão As Meninas e As Horas Nuas.

João Ubaldo Ribeiro (1941-2014) – O escritor, jornalista, roteirista e acadêmico ganhou o Camões em 2008.  Entre as obras mais conhecidas do autor nascido na Bahia e crescido no Rio estão Sargento Getúlio e Casa do Budas Ditosos.

Ferreira Gullar (1930-2016) –  O poeta maranhense e um dos fundadores do neoconcretismo ganhou o Prêmio Camões em 2010. Em 2011, o Gullar foi agraciado com o Prêmio Jabuti de ficção pelo livro Em Alguma Parte Alguma.

Dalton Trevisan – Contista de prestígio na literatura nacional, o recluso escritor curitibano recebeu o Prêmio Camões em 2012. Entre seus livros mais populares estão O Vampiro de Curitiba, Pico na Veia e Cemitério de Elefantes

Alberto da Costa e Silva – Em 2014 foi a vez do poeta, diplomata e historiador paulistano. Especialista na cultura e história da África, Costa e Silva tem A Enxada e a Lança: A África Antes dos Portugueses entre seus principais livros.

Raduan Nassar – Dono de obra curta, o escritor paulista recebeu o Camões em 2016. Seus dois romances mais celebrados são Lavoura Arcaica e Um Copo de Cólera. O autor deixou a literatura nos anos 80 para se dedicar à agricultura.