ENTRETENIMENTO
04/06/2019 18:58 -03 | Atualizado 05/06/2019 10:52 -03

'Chernobyl': Criador da minissérie indica filmes que inspiraram a produção da HBO

Craig Mazin usou sua conta no Twitter para dar uma lista de filmes e documentários que o ajudaram em sua pesquisa.

Divulgação
Cena da minissérie Chernobyl, que tem seu último episódio exibido no Brasil nesta sexta (7).

O sucesso da minissérie Chernobyl  - que terá sem último episódio exibido pela HBO no Brasil na próxima sexta-feira (7), às 21h - vem fazendo crescer a curiosidade do público sobre a tragédia nuclear que aconteceu na pequena cidade de Pripyat, na Ucrânia, no dia 26 de abril de 1986.

Nesta terça (4), o criador da produção, o roteirista e diretor americano Craig Mazin deu mais material para os curiosos (e estudiosos) de plantão. No Twitter, ele indicou 10 obras que foram importantes para a construção da minissérie.

Entre os títulos está um dos filmes soviéticos mais influentes de todos os tempos, um docudrama da BBC e outros documentários significativos.

Como sua maior influência, Mazin apontou o filme Vá e Veja, produção soviética dirigida por Elem Klimov em 1985. O filme não tem nada a ver com o desastre de Chernobyl, mas sim com o horror.

Ambientado em uma região próxima à da tragédia nuclear, na Bielorrússia, o filme conta a história do adolescente Florya, um camponês que vê toda a sua aldeia massacrada pelos invasores nazistas em 1943. Desesperado e sem rumo, ele acaba se juntando a uma milícia local que perseguia os nazistas, entrando em uma espiral de total barbárie que vai lhe tirando a sanidade.

Divulgação
Para evitar traumas no jovem ator Aleksey Kravchenko por conta das sequências mais violentas de Vá e Veja, Klimov contratou um psicoterapeuta para hipnotizá-lo.

Classificado como “um dos maiores filmes de guerra já feitos” pelo escritor inglês J.G. Ballard, Vá e Veja, assim como os outros três longas de Klimov (Bem-vindo ou Estrada Proibida, Agonia Rasputin e A Despedida), sofreu com a perseguição do Estado soviético, que via nas obras do diretor uma visão sarcástica do regime. 

Já o docudrama da rede de TV inglesa BBC, Surviving Disaster (2006), tem uma ligação mais direta com o material da minissérie. Estrelado por Ade Edmondson como Valery Legasov, o filme, segundo Mazin, tem um estilo diferente de Chernobyl, mas que rendeu muitas informações à produção da HBO.

A lista segue com uma série de documentários focados no desastre de Chernobyl, como The Voice of Ljudmila, produção sueca de 2001 que entrevista Ljudmila Ignatenko, esposa de Vasilij Ignatenko, um dos bombeiros que foram designados para apagar o fogo na usina nuclear.

Os dois, aliás, são retratados na minissérie.

Chernobyl 3828 é um curta-metragem de 2011 que retrata a longa e lenta batalha para limpar o telhado da usina de Chernobyl. Nele você pode ver o discurso instrutivo que o General Tarakanov faz aos homens que foram destacados à árdua tarefa. Mazin utiliza boa parte das palavras usadas por Tarakanov no 4º episódio de Chernobyl.

Veja aqui o curta (com legendas em inglês):

O documentário de Vladimir Shevchenko, Chernobyl - The Severe, também se concentra na “limpeza” do desastre, e traz algumas cenas dos mineiros trabalhando em buracos para evitar uma tragédia ainda maior caso o material do núcleo atingisse o lençol freático. 

Outros dois documentários que usam cenas dramatizadas fecham a lista: Zero Hour: Disaster at Chernobyl (2004), produzido pelo Discovery Channel, e 8 Seconds From the Disaster, da National Geographic.

Veja aqui Zero Hour: Disaster at Chernobyl (com legendas em inglês):