ENTRETENIMENTO
04/06/2019 18:26 -03 | Atualizado 13/06/2019 12:04 -03

Como está Pripyat, a cidade arrasada pelo desastre de Chernobyl

Catástrofe nuclear que inspirou série de TV da HBO completou 33 anos em abril.

26 de abril de 1986. Foi nessa data que o 4ª reator da Usina Nuclear de Chernobyl, na cidade Pripyat, no norte da Ucrânia, sofreu um falha durante um teste de segurança que resultou em uma tragédia nuclear e uma série de explosões que espalharam material radioativo pelos territórios que hoje compõem Ucrânia, Bielorrússia e Rússia.

No dia seguinte ao colapso, mais de 50 mil pessoas foram retiradas do local. Mais 300 mil foram transferidas durante os 14 dias seguintes, deixando para trás uma zona de exclusão com cerca de 2.600 km².

O custo humano do desastre é difícil de ser estimado com precisão.

Um total de 31 pessoas morreram por causa explosão e durante o combate ao fogo. No entanto, estima-se que um contingente entre 4 mil e 200 mil pessoas foram ou serão afetadas por cânceres decorrentes da contaminação da vegetação, do solo e da água por elementos como o césio-137 e o iodo-131.

Em 2016, quando o desastre completou 30 anos, o fotógrafo Gleb Garanich fez uma série de imagens da cidade fantasma de Pripyat e de seus arreadores. Além de registros de casas e edifícios abandonados, há também fotos sombrias do parque de diversões local com as carcaças enferrujadas de seus brinquedos.

Chernobyl, a versão ficcional do desastre foi lançada em maio pela HBO e teve o último de seus 5 episódios veiculado nesta segunda (3). A minissérie retrata os efeitos da explosão, a delicada operação de limpeza e o inquérito posterior.

Gleb Garanich / Reuters
Bonecas colocadas por visitantes no jardim de infância na cidade abandonada de Pripyat, perto da usina nuclear de Chernobyl, na Ucrânia.
Gleb Garanich / Reuters
Vista da cidade abandonada de Pripyat perto do central elétrica de Chernobyl.
Gleb Garanich / Reuters
Vista de um parque de diversões no centro da cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Interior de um edifício na cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Uma casa na aldeia abandonada de Zalesye, perto da usina de Chernobyl.
Gleb Garanich / Reuters
Vista da cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Uma foto de Vladimir Lenin em um jardim de infância na cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Casa na vila abandonada de Zalesye.
Gleb Garanich / Reuters
Vista interior de um edifício na cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Gleb Garanich / Reuters
Uma roda gigante na cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Brinquedos deixados em um jardim de infância na cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Sapato de uma criança deixado em um jardim de infância na cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Um abrigo de contenção para o reator danificado (L) e a estrutura New Safe Confinement (NSC) (R) na Usina Nuclear de Chernobyl são vistos da cidade abandonada de Pripyat.
Gleb Garanich / Reuters
Um profissional no centro de controle do terceiro reator parado na usina nuclear de Chernobyl.