Este chef roda o mundo em sua bike para cozinhar em locais exóticos

“Uma vez eu cozinhei também para Robert De Niro”, disse o chef, que já cozinhou no Everest e Lapônia.
chef
chef

O italiano Cristiano Sabatini, de 48 anos, é um chef de cozinha que pilota, além de um fogão, uma bike. É com a bicicleta que ele leva pratos típicos da gastronomia italiana para os locais mais remotos do mundo. Sabatini já preparou uma pasta à carbonara no Monte Everest, a 5.174 metros de altura, e na Lapônia, região no extremo norte da Finlândia conhecida como a terra do Papai Noel. Lá, porém, a receita precisou ser modificada: ao invés do guanciale, foi usada carne de rena.

Marrocos, Índia e Nepal foram outros destinos visitados pelo italiano, que se define um “bike chef”. Nas redes sociais, Sabatini compartilha suas viagens e receitas, usando sempre a hashtag ”#sisipuòfare” (“sim, é possível ser feito”, na tradução livre).

O italiano já geriu com sucesso um restaurante em Viterbo, na região do Lazio, mas, em 2001, decidiu largar tudo para cozinhar na casa dos clientes, sob demanda. Não demorou muito para conquistar o paladar de estrelas do cinema, como Carlo Verdone, Gigi Proietti e Paolo Sorrentino.

“Uma vez eu cozinhei também para Robert De Niro”, disse o chef, em entrevista à ANSA.

“A cozinha de um restaurante estava pequena para mim. Foi então que decidi também abrir um novo negócio de salumeria ‘exótica’ em Viterbo, mas fui à falência. Tive que voltar à cozinha, mas ao meu modo”, contou. “Gerir um restaurante significava, para mim, não ter uma vida social. Nem me permitia viver minha paixão por viagens extremas, que são também uma grande fonte de inspiração para a culinária”, disse Sabatini.

Na Nova Zelândia, o chef preparou um espaguete com mexilhões gigante encontrados no país. “Uso matéria-prima da minha própria casa e também dos países que visito. Fiz o espaguete com mexilhões gigantes e o prato ficou fantástico. Compartilhei com os moradores locais, porque a comida une os povos e anula as diferenças”, exaltou.

De acordo com Sabatini, dois ingredientes são usados em várias partes do mundo: o arroz e a carne de cordeiro. “São consumidos em qualquer latitude, sem barreiras religiosas ou culturais”. “Um dos meus maiores sonhos é fazer uma viagem pela fronteira de Israel e Palestina. Quero cozinhar e colocar sentados à mesa os dois povos, sempre rivais, para comerem um ensopado de cordeiro à romana”, contou o italiano.

A próxima viagem do “bike chef” é ao Peru, para a cidade de Rinconada, considera a mais alta do mundo, a 5.200 metros de altura. “Quando chegar lá em cima, farei uma pasta à carbonara com alpaca, ninguém me tira isso”, prometeu.