LGBT
22/04/2019 17:31 -03 | Atualizado 22/04/2019 17:43 -03

A declaração de Charlize Theron sobre ser mãe de uma criança transgênero

Filha mais velha da atriz, Jackson, já aos 3 anos, disse à mãe que não se identificava com o gênero masculino: "Eu não sou um menino!".

Reuters
Em entrevista ao jornal britânico Daily Mail, atriz deu fim a especulações e críticas ao seu jeito de criar Jackson, sua filha de 7 anos.
Sim, eu pensei que ela era um menino também. Até que ela olhou para mim aos três anos e disse: 'Eu não sou um menino!'

A frase acima é da atriz Charlize Theron, de 43 anos, em entrevista ao jornal britânico Daily Mail. Ela revelou que Jackson, de 7 anos, desde os 3 anos de idade se identifica como uma menina e é uma criança transgênero.

Theron decidiu tornar pública a informação após anos de especulação por parte de tabloides, paparazzi e discussões nas redes sociais que questionavam porque ela, como mãe, permitia que Jackson se vestisse com saias e vestidos.

“Eu tenho duas filhas lindas que, como qualquer outra mãe, quero proteger e ver prosperar. Eles vieram ao mundo exatamente como são e ambos se encontram enquanto crescem, isso não é algo que eu deva decidir”, disse.

A protagonista de Monster e Mad Max: Estrada da Fúria adotou Jackson, de 7 anos, em 2012 e sua outra filha, August, de 3, em 2015. 

“Meu trabalho como mãe é celebrá-los e amá-los e ter certeza de que eles têm tudo de que precisam para ser o que querem ser. Farei tudo que estiver ao meu alcance para que meus filhos tenham esse direito e sejam protegidos.”

Na entrevista, Theron, que é sul-africana, conta que a forma como cria seus filhos tem a ver com a forma como sua mãe a educou.

“Cresci na África do Sul, onde as pessoas viviam com meias verdades, sussurros e mentiras, e ninguém se atrevia a dizer nada de frente. E fui criada especificamente para não ser assim. Minha mãe me ensinou a levantar a voz.”

A atriz teve uma infância difícil. Quando morava em Johannesburgo, ela presenciou sua mãe, Gerda, ser vítima de violência doméstica. Aos 15 anos, seu pai, alcoolizado e com uma arma nas mãos, ameaçou matar as duas. Gerda atirou no marido e, posteriormente, foi absolvida por legítima defesa.

Em entrevista ao Daily Mail, ela disse que “apenas olhava para ela boquiaberta” e que ficava pensando “está tudo bem. eu quero ser assim também”.

A atriz ainda disse que só recentemente se deu conta do machismo a que ela, e outras mulheres sofrem no mundo do trabalho e na vida pessoal.

“Nunca tive medo de ser mulher. Só quando estava sozinha, aos 20 e poucos anos, que percebi que as mulheres não são respeitadas em todos os campos.”

Esta não é a primeira vez que a atriz diz que tem duas filhas. Em uma entrevista para a revista norte-americana, Variety, ela contou a  Michael B. Jordan, de Pantera Negra, que é mãe de “duas garotas jovens, bonitas e afro-americanas”.