COMIDA
24/09/2019 02:00 -03

Chá de hibisco com cavalinha realmente emagrece?

De fato, hibisco e cavalinha são poderosos agentes diuréticos. Mas seus efeitos têm limites e contraindicações.

Depois de um fim de semana de muitos excessos, a semana é religiosamente iniciada por um “detox”, que normalmente incluem chás e sucos que desincham e ajudam pessoas a se livrarem de todas as besteiras consumidas nos dias anteriores. E um dos favoritos dos brasileiros é a junção de hibisco e cavalinha

Juntos, diz a lenda, eles promovem uma série de benefícios, como ação anti-inflamatória, redução da celulite, efeito detox e, principalmente, o emagrecimento. Será mesmo? 

Mehmet Kalkan via Getty Images

De fato, o hibisco tem diversos benefícios para a saúde. A planta é rica em antioxidantes, que são componentes que combatem os radicais livres, que causam os danos das células. Ou seja, ingerir chá de hibisco ajuda a combater o envelhecimento das células, pele, cabelo e tecidos dos órgãos. 

A fama de ação “detox” também tem fundamento ― em parte. Primeiro, precisamos lembrar que o único responsável por fazer limpeza no nosso corpo é o nosso fígado. Porém, estudos mostram que hibisco pode promover a saúde do fígado e ajudá-lo a trabalhar com mais eficiência. 

Além disso, o hibisco é rico em polifenóis, componentes que comprovadamente agem contra o câncer. Estudos em laboratório mostraram resultados positivos em relação ao efeito potencial do extrato de hibisco nas células cancerígenas.

Já a cavalinha não fica para trás. Com vitamina C, ela também é uma erva rica em antioxidantes, assim como anti-inflamatória. 

Os dois, sobretudo, têm poderes diuréticos, ou seja, ajudam a nos livrar da retenção de líquidos. Neste ponto, até a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) reconhece a cavalinha como uma planta medicinal, um diurético natural

Pat_Hastings via Getty Images

A cavalinha e o hibisco, juntos, são poderosos contra a retenção de líquidos e devem ser ingeridos por quem se sente inchado. Seus efeitos diuréticos, portanto, promovem mais idas ao banheiro e, por isso, dão a sensação de emagrecimento. Porém, elas não são agentes emagrecedores

“O consumo de chá não tem relação com o emagrecimento [queima de gordura]. O que acontece é que ele auxilia no processo de retenção de líquido, diminuindo esse efeito geralmente causado por excesso de insulina no sangue”, explicou o nutricionista Bernardo Maia em seu perfil no Instagram.

“A insulina tem capacidade de mexer na nossa retenção de líquidos, por isso, sempre que consumimos muitos alimentos à base de farinha e açúcar temos a sensação de inchaço. Portanto, existem alguns chás que são, sim, diuréticos (hibisco e cavalinha, por exemplo), porém, eles irão mexer na água.”

No post, o nutricionista também alerta que seus efeitos são limitados. Além disso, o chá de hibisco com cavalinha consumido em excesso pode fazer mal à saúde, pode causar sobrecarga renal e hepática. 

A ingestão do chá diurético a longo prazo pode também diminuir níveis de vitaminas e causar a perda de potássio, como destacam as contraindicações da Anvisa. “Em pacientes que apresentam insuficiência renal crônica e que fazem uso de medicamentos que alteram níveis de potássio, pode causar hipercalemia”, acrescenta.

Como consumir?

OlegKov via Getty Images

O ideal é ingerir o chá com bastante água e dar pausas depois de consumir por duas semanas ou um mês.

Para fazer o chá, basta ferver cerca de 500 ml de água, adicionar duas ou três colheres de cada erva, abafar e esperar por 10 minutos. Depois, é só coar e consumir quente ou frio. Fica uma delícia!