NOTÍCIAS
25/03/2019 14:04 -03 | Atualizado 25/03/2019 14:06 -03

Cesare Battisti confessa assassinatos cometidos nos anos 70

De acordo com procurador italiano, a confissão é um “reconhecimento importante ao trabalho dos magistrados”.

ASSOCIATED PRESS

Em depoimento a Alberto Nobili, que coordena o órgão antiterrorismo do Ministério Público de Milão, CesareBattistti assumiu a responsabilidade por quatro assassinatos.

Ele pediu desculpas pelos atos cometidos e afirmou que foi “uma guerra justa”. 

“Eu falo apenas de minhas responsabilidades, não delatarei ninguém. Estou ciente do mal que fiz e peço desculpas aos familiares [das vítimas]”, afirmou Battisti.

De acordo com o procurador, a confissão é um “reconhecimento importante ao trabalho dos magistrados”.

Battisti disse que usará suas declarações de inocência para “obter apoios da extrema esquerda na França, no México, no Brasil e do próprio Lula”. O italiano garantiu que não cometeu nenhum crime enquanto se manteve no Brasil e que trabalhava como porteiro.

O ex-integrante do grupo Proletários Armados pelo Comunismo (PAC) cumpre pena de prisão perpétua na Sardenha. Ele foi condenado na Itália por terrorismo.

Battistti passou quase 40 anos foragido e nesse período declarava-se inocente. De acordo com ele, era vítima de um “processo político”.

Após o então presidente Michel Temer ter ordenado sua extradição do Brasil, em dezembro de 2018, ele fugiu para a Bolívia, onde foi detido.

(Com informações da ANSA.)