COMIDA
08/08/2019 11:50 -03 | Atualizado 08/08/2019 14:22 -03

Pela 1ª vez, festival de cerveja britânico proíbe bebidas com nomes machistas

Organização vetou nomes, figuras, bottons e porta-copos que levam mensagens ou imagens sexistas.

Organizadores de um famoso festival de cerveja do Reino Unido anunciaram que vão proibir bebidas com nomes sexistas do evento deste ano.

Esta edição do Great British Beer Festival, que reúne mais milhares de britânicos e entusiastas da cerveja de todo o mundo, proibiu a venda de diversas bebidas alcoólicas com nomes machistas, como “Dizzy Blonde” (ou “loira tonta”, em tradução livre), “Leg-Spreader” (“abridor de pernas”) e “Village Bike”, em referência ao público LGBT. 

Além disso, também foram retirados cartazes, figuras, bottons e porta-copos que levam imagens machistas. 

A decisão, feita pela organização cervejeira CAMRA (Campaign for Real Ale ou Campanha pela Cerveja de Verdade), vai ao encontro com uma pesquisa em constatou que 68% das mulheres não comprariam uma cerveja se sua propaganda fosse sexista. 

A organizadora da CAMRA, Abigail Newton, afirmou à imprensa britânica que mais de mil cervejas, cidras e demais bebidas do evento foram checadas para atenderem ao código de conduta, que agora conta com “inclusão e diversidade”. 

″É difícil entender por que alguns fabricantes de cerveja ignoram potenciais consumidores e optam por materiais que atraem uma porcentagem menor”, disse Newton. “Precisamos encorajar as mulheres, que hoje são apenas 17% da população consumidora, apesar de representarem 50% do mercado potencial.”

Cerveja não é uma bebida de homem ou de mulher, é uma bebida para todos. Há um enorme trabalho que precisa ser feito para superar os estereótipos ultrapassados.

Além de remover nomes machistas e homofóbicos, a CAMRA também vai arrecadar dinheiro para uma campanha de igualdade para pessoas LGBT+. 

Na esteira do crescente movimento #MeToo, a proibição de nomes sexistas é um dos primeiros movimentos dentro de um setor ainda considerado machista. “Esta é a primeira vez que fizemos uma declaração tão ousada com uma proibição”, contou Newton. 

No ano passado, a Society of Independent Brewers (Sociedade de Cervejarias Independentes) do Reino Unido elaborou um novo código de prática para proibir o marketing considerado sexista e ofensivo.