ENTRETENIMENTO
20/02/2019 00:33 -03

O que você precisa saber sobre as categorias dos desfiles do Carnaval 2019

Jurados precisam analisar 9 aspectos para escolher as melhores escolas de samba.

NurPhoto via Getty Images
Bateria da Imperatriz Leopoldinense desfila na Sapucaí, no Rio de Janeiro.

Se você é uma daquelas pessoas que adoram ficar grudadas na TV até de manhã assistindo aos desfiles das escolas de samba (ou então vai pessoalmente prestigiar o esforço e a alegria do pessoal na avenida), este guia foi preparado para você entender melhor como funciona o julgamento de uma escola de samba durante o desfile de Carnaval.

Os jurados precisam analisar 9 categorias diferentes para definir quem fez o melhor e o pior desfile na avenida e, dessa forma, selar o destino da campeã e de quem será rebaixada para o grupo inferior no Carnaval do ano seguinte.

 As categorias que vão a julgamento são as seguintes:

  • Enredo

  • Evolução

  • Bateria

  • Mestre-sala e Porta-Bandeira

  • Comissão de Frente

  • Alegorias e Adereços

  • Harmonia

  • Fantasias

  • Samba-enredo

 A ordem de avaliação das categorias é definida por um sorteio realizado no dia da apuração. Entenda qual a importância de cada um destes itens para um desfile perfeito:

Enredo

Ponto de partida para toda escola de samba, é o tema escolhido para desenvolver a história que será contada na avenida e que norteará todo o trabalho, com começo, meio e fim. O julgamento do enredo é dividido em dois sub-quesitos: concepção e realização.  

Evolução

Esse quesito é um dos que mais custam pontos às escolas de samba desatentas. É nele que os jurados avaliam a velocidade e a maneira como as escolas desenvolvem sua passagem pela avenida.

Para alcançar uma nota boa, é proibido haver mistura de alas ou, então, os populares “buracos”, clarões entre uma ala e outra durante o desfile.

A escola, vista de cima, da posição dos jurados, tem a obrigação de parecer um bloco só, com os componentes dançando animados (não é preciso saber sambar, mas é proibido ficar parado).

Bateria

É o coração das escolas de samba, a responsável por ditar o ritmo do desfile e de trazer as arquibancadas para dançar junto com os componentes.

Uma bateria nota 10 precisa obrigatoriamente ter consistência entre os ritmistas e capacidade de trabalhar em sintonia, principalmente na hora de entrar no recuo. É nesse momento que uma simples saída do compasso pode acontecer e custar importantes pontos na soma geral das notas.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

Passos precisos e graciosos, bailados, meias-voltas. Uma dança clássica, na qual não é preciso apenas sambar, mas também encantar. Essa é a missão do Mestre-Sala e da Porta-Bandeira durante o desfile de uma escola de samba.

O casal também precisa seguir algumas regras se não quiser sofrer punição. Se a bandeira enrolar no mastro, mesmo que por um segundo, a nota é descontada. Essa pontuação menor também ocorre se um der as costas para o outro ao mesmo tempo durante a dança e também se o estandarte encostar no Mestre-Sala ou no rosto da Porta-Bandeira. 

Comissão de Frente

 Criatividade, coordenação e sintonia. São esses os 3 principais requisitos julgados na Comissão de Frente de uma escola de samba durante a passagem pela avenida.

Como o próprio nome diz, a Comissão de Frente é o primeiro grupo a desfilar e, por isso, atrai os olhares mais descansados dos jurados e, portanto, mais atentos.

A comissão precisa ser formada por um mínimo de 10 e um máximo de 15 componentes e todos precisam, além de prestar atenção ao trio de requisitos citado acima, estarem vestidos de uma maneira distinta das demais alas da escola.

Assim como acontece com o enredo, a Comissão de Frente também é julgada em dois subquesitos: concepção da roupa e sincronismo nos movimentos da coreografia. Uma queda de qualquer um dos integrantes ou a perda de uma parte da fantasia custará preciosos pontos à nota final.

Alegorias e Adereços

São, em tradução livre, os carros alegóricos, principais atrações de qualquer desfile por seu luxo e imponência ou, em alguns casos, até mesmo pela substituição do luxo por algo mais simples, mas performático.

Essa é mais uma categoria que é julgada em dois subquesitos pelos jurados: concepção, que engloba a criatividade da produção do carro e sua adequação ao enredo escolhido, e realização, que observa o cuidado na fabricação, acabamento e decoração, além do perfeito funcionamento do mesmo durante a passagem pela avenida.

Harmonia

Nada mais é do que o sincronismo entre o intérprete do samba, o popular “puxador”, e os demais integrantes da Escola de Samba. Todos precisam entoar a letra em uma única voz, independentemente de o carro de som funcionar ou não.

A escola perderá pontos se partes diferentes da música forem cantadas em um mesmo momento (o que acabou batizado de “atravessar o samba”), ou se o comando da Bateria não for respeitado.

Fantasias

Confecção, acabamento, uniformidade nos detalhes e adequação ao enredo são os principais pontos observados no julgamento das fantasias.

As vestimentas precisam ser criativas e uniformes, além de expressar ao público sua adequação ao enredo da escola de samba.

Penas caindo ou fantasias rasgadas custam caro e podem jogar meses de trabalho na lata do lixo.

Samba-enredo

O último, mas não menos importante quesito, é o samba-enredo. É ele que vai contar, por meio da música, a história escolhida pela escola de samba durante a passagem pela avenida.

Os jurados não perdoam erros de concordância ou vícios de linguagem e observam atentamente se a letra e a melodia são marcantes o suficiente para fazerem as arquibancadas balançarem junto com a escola que está desfilando.

Os subquesitos avaliados são letra e melodia. No primeiro, entram sob as lentes dos jurados a riqueza poética, bom gosto e a beleza. Já no segundo subquesito, é analisada a capacidade da harmonia de facilitar a dança e o canto dos integrantes da agremiação.