COMPORTAMENTO
21/11/2019 04:00 -03 | Atualizado 21/11/2019 08:50 -03

O que fazer se sua carreira parece que vai falhar no #10YearChallenge

Só falta um mês para essa década acabar.

Olivier Le Moal via Getty Images
Carreiras não são lineares. Como definimos o nosso sucesso também não deveria ser.

Falta um mês para essa década acabar. O que você conquistou?

Essa é a pergunta que viralizou em um tuíte e fez com que as pessoas compartilhassem os seus feitos nos últimos 10 anos: desde promoções, formaturas e casamentos, até as maneiras pelas quais elas sobreviveram na última década.

Twitter

Essa pergunta também faz parte de um desafio que ficou bastante popular nas redes sociais, o #10YearChallenge (ou o desafio dos 10 anos, em tradução literal).

A ideia é compartilhar como você está hoje e como você era há 10 anos para entender como o passar do tempo fez efeito na sua vida. 

É normal que o fim de uma década venha carregado de muitas reflexões. Mas há um julgamento implícito ao perguntar: “Então, o que você fez?”

Você deixa de ser a pessoa que você é para ser colocado na caixinha de uma pessoa que realizou X ou Y coisas. Lembrar do profissional que você era há 10 anos pode ajudá-lo a se orgulhar de onde está agora e de como suas prioridades mudaram.

Mas também você não deveria se envergonhar se não tiver uma lista de marcadores incríveis de conquistas, como novos aumentos, promoções e títulos.

Isso porque é preciso ter em mente que as carreiras não seguem um arco linear claro. Uma pesquisa de 2015 constatou que os funcionários não estão apenas motivados ao subir a escada corporativa: dos 2.000 trabalhadores americanos em período integral pesquisados, 89% disseram que assumiriam uma posição com um título semelhante e receberiam nota em um departamento diferente da empresa. E muitos de nós não planejamos permanecer em uma única carreira. 42% dos entrevistados disseram que esperavam ter três ou mais carreiras diferentes em suas vidas.

Eu acho que é mais útil expandir a definição de “sucesso de carreira” para além dos prazos que um desafio de 10 anos impõe, ou até mesmo aquela aparente carreira-meteoro que se glamouriza por listas como “os 30 abaixo dos 30″ da Forbes.

Há uma obsessão por conquistas precoces, mas há muito mais exemplos de profissionais que encontraram sucesso na carreira mais tarde na vida.

Tomemos a comediante Leslie Jones, que era a mais nova integrante do elenco do Saturday Night Live aos 47 anos. Como ela disse ao The New Yorker em 2015: “Lembro-me de algumas noites em que eu estava tipo ’Tudo bem, essa comédia está apenas acontecendo. E não pensava isso quando eu tinha 25 anos. Tipo, eu tinha 45 anos ... eu era uma pessoa menos confiante naquela época. E com certeza não tão engraçada.”

Há uma pergunta melhor do que “O que você conquistou?”

Se você deseja avaliar sua carreira de maneira genuína e justa, comece reformulando a questão para que haja menos pressão sobre si mesmo, disse Monique Valcour, coach executiva.

“Uma maneira mais gentil e reflexiva de pensar sobre isso pode ser: Se você pudesse voltar 10 anos e conversar com você mesmo, que conselho você daria nesse momento?”, questionou Valcour.

Os tópicos de conversação que entrarão em contato com o seu profissional anterior podem incluir: “Aqui estão as coisas mais importantes que acontecerão nos próximos 10 anos. Aqui está o que eu recomendo que você deve se preocupar, e aquilo que não merece atenção. Aqui está como você vai crescer”, completou.

Ao falar consigo mesmo de uma forma mais gentil, você pode entrar na mentalidade de pensar em sua carreira sem vergonha ou ansiedade.

Se você deseja medir o sucesso além das métricas de desempenho, comece a prestar atenção em como se sente

Ter mais consciência sobre o passado e o presente da sua carreira significa prestar atenção em muita coisa além dos números. Às vezes, números quantificáveis ​​de realizações podem ofuscar sinais igualmente importantes, mas menos visíveis, de sucesso.

Valcour disse que existem alguns indicadores de sucesso que são mais objetivos e óbvios para outros, como aumento de salário, promoção ou obtenção de um novo diploma.

Depois, há sucessos mais subjetivos e ocorrem em um domínio interpessoal, “como ajudar muitas pessoas a crescer e se desenvolver” e “construir um clima de confiança ou compromisso em que as pessoas realmente se sentem parte de algo maior do que também existem conquistas subjetivas à sua experiência pessoal”, disse ela, como “ser capaz de criar uma carreira que realmente se alinhe aos seus valores”.

Depois de perceber que você é a única pessoa que decide quais marcadores de sucesso são significativos, você pode ir além dos 10 anos de referência de sucesso.

Seu impacto pode até ser medido diariamente. Em uma entrevista ao podcast “Call Your Girlfriend”, Samantha Power, ex-embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, compartilhou uma maneira útil para as pessoas julgarem seu impacto diariamente que ela usou na Casa Branca de Obama.

“Meu marido [companheiro de Obama, Cass Sunstein], desenvolveu esse tipo de estrutura para avaliarmos nossos dias em que diríamos um ao outro: ‘Respeitado [ou] não respeitado. Eficaz ou ineficaz.E assim estaríamos saindo e um de nós diria’ Respeitado. Não é eficaz. “Não é eficaz, não é respeitado”. “Era uma boa estrutura para avaliar como eles estavam construindo coalizões em torno de um objetivo maior.

Refletir sobre uma década também significa perceber o que você já tem

Se você se comparar a suas realizações passadas com as de outra pessoa e ficar aquém, use a gratidão para sair da ideia de inveja e de comparação, e lembre-se do que você já tem. Expressar gratidão é um método apoiado pela ciência de se sentir mais positivo em relação ao seu dia.

Perguntas para despertar sentimentos de gratidão podem incluir ”‘O que eu aprendi?’ E ‘Quais foram as sementes desse aprendizado?’”, Disse Valcour.

“Muitas vezes, com a perspectiva de longo prazo, a qualidade das experiências que tivemos no passado tende a mudar. Algo que foi muito agudo, ou parecia consumir tudo no momento, agora vemos com distância de tudo o que estava acontecendo em nossas vidas. ”

Aqui está um método de expressar agradecimento que aprendi com a ficção. “A Casa dos Anjos Quebrados”, de Luis Alberto Urrea, segue Big Angel, o patriarca moribundo de uma família mexicana que dependia dele enquanto ele refletia sobre suas últimas semanas de vida.

Sob a orientação de um amigo, ele começa a guardar um caderno do que é grato, dando “atenção às pequenas coisas, que eram paradoxalmente eternas”. São momentos grandes e pequenos:

silêncio

boa conversa

ostras

um dia sem dor

Essas breves descrições demonstram que você não precisa escrever um ensaio de gratidão prolongado para começar a manter uma prática de gratidão. Você pode começar anotando algumas palavras de seus destaques pessoais semana a semana, dia a dia.

Depois de perceber tudo o que você já construiu, você pode se concentrar menos no que ainda não possui.

Ao prestar atenção à sua experiência, você ganha o poder de definir o que é uma conquista pessoal que vale a pena se lembrar, não importa em que década esteja.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.