ENTRETENIMENTO
24/02/2020 10:53 -03

Veja tudo o que aconteceu na 1ª noite de desfiles no Carnaval no Rio de Janeiro

Mangueira, Viradouro, Grande Rio e Portela foram os destaques.

A 1ª noite do Carnaval no Rio de Janeiro, que aconteceu neste domingo (23) ficou marcada por desfiles engajados que empolgaram muito o público na Marquês de Sapucaí.

Veja aqui uma galeria de fotos com tudo que aconteceu:

  • Estácio de Sá
    Estácio de Sá
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    Com o enredo "Pedra", a Estácio de Sá abriu o primeiro dia de desfile na Marquês de Sapucaí. O samba fez um recorte da pré-história ao garimpo para criticar a destruição do meio ambiente.
  • Estácio de Sá
    Estácio de Sá
    Bruna Prado via Getty Images
    Em sue estreia como rainha de bateria da Estácio de Sá, a empresário Jack Maia desfilou com uma fantasia cravejada de pedras para representar a Deusa da Mata.
  • Estácio de Sá
    Estácio de Sá
    ASSOCIATED PRESS
    O carro alegórico "Em Busca do Ouro retratou a saga dos garimpeiros de Serra Pelada, no Pará.
  • Viradouro
    Viradouro
    Bruna Prado via Getty Images
    Com o enredo "Viradouro de Alma Lavada", a escola de Niterói abriu seu desfile inovando, com um carro abre-alas que trazia uma sereia nadando em um tanque de água mineral de 7 mil litros. A atleta Anna Giulia Veloso, do nado sincronizado, representou a figura da sereia.
  • Viradouro
    Viradouro
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    O samba-enredo da Viradouro celebrou o papel da mulher na construção do Brasil por meio de seu trabalho. Como o das lavadeiras baianas.
  • Viradouro
    Viradouro
    Ricardo Moraes / Reuters
    A frase "lute como uma mulher" deu o tom do desfile e foi estampada no último carro alegórico da escola.
  • Mangueira
    Mangueira
    ASSOCIATED PRESS
    Com o samba-enredo "A Verdade vos Fará Livre", A atual campeã Mangueira fez uma releitura da biografia de Jesus.A comissão de frente mostrou um Cristo que mistura sua imagem mais “clássica” com um jeito mais moderno, com ele e seus apóstolos como amigos que dançam funk na favela e levam “dura” da polícia. 
  • Mangueira
    Mangueira
    ASSOCIATED PRESS
    A rainha da bateria Evelyn Bastos apareceu como Jesus mulher e surpreendeu por não sambar.
  • Mangueira
    Mangueira
    Ricardo Moraes / Reuters
    A escola fechou seu desfile com um carro alegórico que retratou um Jesus negro, pobre e favelado, com cabelo raspado, descolorido, tatuagens pelo corpo e crivado de balas. A placa em cima de sua cabeça dizia: Negro.
  • Paraíso do Tuiuti
    Paraíso do Tuiuti
    Buda Mendes via Getty Images
    A Paraíso do Tuiuti levou à avenida um enredo que misturou as histórias de dom Sebastião, rei de Portugal que se transformou em uma figura mítica após desaparecer em uma batalha no Marrocos, no século 16, e a de são Sebastião, padroeiro do Rio de Janeiro.
  • Paraíso do Tuiuti
    Paraíso do Tuiuti
    Buda Mendes via Getty Images
    Fantasiada de Ninfa das Águas Místicas, a apresentadora Lívia Andrade estreou como rainha de bateria da Paraíso de Tuiuti.
  • Paraíso do Tuiuti
    Paraíso do Tuiuti
    Pilar Olivares / Reuters
    A escola do bairro de São Cristóvão, que teve sua melhor colocação no Carnaval em 2018, quando apresentou um carro alegórico com o então presidente Michel Temer como vampiro, apostou em um tema mais místico, deixando de lado a crítica sobre questões políticas atuais. 
  • Grande Rio
    Grande Rio
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    A Acadêmicos do Grande Rio levou empolgou o público levando à Sapucaí a história de Joãozinho da Goméia, pai de santo negro e homossexual que foi uma personalidade muito influente nas décadas de 1950 e 1960.
  • Grande Rio
    Grande Rio
    Bruna Prado via Getty Images
    O desfile marcou o retorno da atriz Paolla Oliveira como madrinha da bateria depois de quatro anos afastada.
  • Grande Rio
    Grande Rio
    CARL DE SOUZA via Getty Images
    além do samba-enredo, as alegorias foram um dos grandes destaques do desfile da Grande Rio, que contagiou a Marquês de Sapucaí com um tema que celebrou o combatendo a intolerância religiosa.
  • União da Ilha
    União da Ilha
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    A União da Ilha apresentou um samba-enredo bem atual e que dispensa explicações: "Nas Encruzilhadas da Vida, Entre Becos, Ruas e Vielas, a Sorte Está Lançada: Salve-se quem Puder!". A escola da Ilha do Governador levou até um ônibus à avenida.
  • União da Ilha
    União da Ilha
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    Porém, um dos carros alegóricos deu problema e a escola foi a única que estourou o tempo do desfile, o que pode até ser decisivo no rebaixamento da União da Ilha.
  • União da Ilha
    União da Ilha
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    A agremiação apostou no realismo para escancarar o problema das comunidades cariocas e ganhou a simpatia do público, que ficou tocado com o problemas técnicos enfrentados pela escola.
  • Portela
    Portela
    Pilar Olivares / Reuters
    Já com o dia amanhecendo, a tradicional Portela inovou com sua águia com asas que davam movimento ao carro abre-alas.
  • Portela
    Portela
    ASSOCIATED PRESS
    O enredo da escola retratou os primeiros moradores da área que hoje é o Rio de Janeiro, os índios Tupinambás. E não faltaram críticas ao presidente Jair Bolsonaro e ao prefeito da cidade, Marcelo Crivella, como no trecho: ”Índio pede paz, mas é de guerra / Nossa aldeia é sem partido ou facção / Não tem bispo, nem se curva a capitão”.
  • Portela
    Portela
    MAURO PIMENTEL via Getty Images
    A Portela retomou a grandiosidade de seus últimos desfiles, levando muito luxo e cores à Sapucaí, como no carro alegórico que levou a velha guarda da escola, com modernos arranha-céus cravado de flechas.
Eleições nos EUA
As últimas pesquisas, notícias e análises sobre a disputa presidencial em 2020, pela equipe do HuffPost