COMIDA
07/09/2019 03:00 -03

Burgay: A hamburgueria 'mais gay de SP' serve lanches com nomes de divas

Hamburgueria, que oferece lanches 'Madonna' e 'Cher.ddar', tem como proposta ser ambiente receptivo e unir comunidade LGBT.

It’s brie, bitch! 

Imagine um cardápio com diversas referências às divas do pop, com lanches chamados de “Madonna” e “Pussycat dogs” e, para completar, combos com nome de VMA 2003. E não para por aí: além dos nomes chamativos, os hambúrgueres são servidos em um pão rosa com purpurina.

É assim que a Burgay, nova hamburgueria da capital paulista, quer conquistar a clientela LGBT+ e demais apreciadores de um bom hambúrguer. No Instagram, a Burgay diz que é a “hamburgueria mais gay de São Paulo” ― alguém tem dúvida disso? 

A hamburgueria foi criada pelo ex-diretor de cinema Rafael Lundgren. Por enquanto ela funciona apenas com sistema de entregas ou “take to go” no bairro de Pinheiros, em São Paulo.  

Os lanches são irreverentes e todos levam alguma referência LGBT. Alguns hambúrgueres são mais criativos, como Bey.con Lemonade (burger com crispy de bacon), Brie.tney (com queijo brie) e Cher.ddar (com queijo cheddar).

Outros lanches brincam com o vocabulário gay, como o hambúrguer “grão de beesha” e “Soja bem caminhoneira”, opções vegetarianas. 

Quase todas as criações vêm com pão de hambúrguer rosa caseiro e glitter comestível. Os acompanhamentos são igualmente criativos. O “Quesitos gouda lipa”, em referência à cantora Dua Lipa, pode ser degustado com uma “Coca-colah Zeroh Latah”, que brinca com o termo “Masculynah”.

Por trás de todas essas criações, o chef Rafael Lundgren conta que começou a ganhar visibilidade nas redes sociais há cerca de uma semana, quando alguns influencers e youtubers de gastronomia divulgaram seu trabalho. A divulgação trouxe frutos: o número de pedidos triplicou nos últimos dias. “Graças a Gaga, e nossa ‘santa Cher’, fundadora de nossa Igreja de Santa Cher na Terra, está crescendo exponencialmente, isso é muito bom”, comemorou o chef. 

Lundgren era cineasta e decidiu seguir sua paixão ao se deparar com a crise no mercado audiovisual. “Desde pequeno gosto de cozinhar, gosto de unir as pessoas através da comida. Acho que a comida é capaz de unir as pessoas apesar de qualquer divergência que a gente possa ter”, disse Rafael ao HuffPost. “Sempre vamos ter aquele almoço que une todo mundo.”

Bandeira LGBT

Segundo o empresário, a hamburgueria tem a proposta de unir a comunidade LGBT e também dar visibilidade ao tema. “A importância de ter uma lanchonete LGBT, ainda mais no Brasil, é um ato político, além de empreendedor. A maioria das lanchonetes tem um ar heteronormativo, sim, mas não só as lanchonetes, também casas de show, restaurante chique, bares, que seguem padrões heteronormativos.”

Ele conta que a ideia é criar um ambiente em que as pessoas possam se sentir confortáveis. ”É muito chato esse lance de que se você é muito bicha você tem que ir para uma balada gay. Às vezes, a pessoa não está a fim de uma balada, ela quer sair para comer, relaxar com os amigos, tomar uma cervejinha de leve”, acrescenta. “Por que não pode ter um ambiente tranquilo e viado?”, questiona.

As pessoas perguntam: por que abrir uma lanchonete gay se todo mundo tem que ser igual? Concordo que todo mundo tem que ser igual, mas isso só vale a partir do momento que todo mundo começar a ser tratado igual. Enquanto isso não acontecer, a gente precisa, sim, levantar a bandeira e fazer a nossa voz falar alto.

Rafael conta que a casa ainda não recebeu nenhuma crítica ou foi hostilizada por conta da proposta de ser gay, mas está atento a isso. Há alguns anos, o empreendedor foi agredido no Rio de Janeiro por um motorista de Uber. Ele diz que foi um crime de homofobia. “Durante muito tempo isso me fez muito mal, me deu síndrome do pânico, mas hoje uso como um motor para me dar forças. Não vou dizer que estou preparado, porque a gente nunca está preparada, mas estou mais estruturado para essa hostilidade.”

Aberta há alguns meses, agora a hamburgueria está pronta para planos de expansão. O primeiro passo é abrir uma loja maior que a de Pinheiros, que é um espaço bem pequeno. Mais pra frente, conta Rafael, a Burgay pode virar até franquia. “Para agora, a gente está tentando achar um lugar para receber nosso público com uma equipe maior. Esse plano já está em execução.”

Por enquanto, você pode visitar a Burgay, na Rua Cardeal Arcoverde nº 564, em Pinheiros, ou fazer pedido pelos aplicativos de delivery como o iFood