As vendas de brinquedos sexuais dispararam com o coronavírus

A covid-19 também afeta as relações sexuais.
Compra de vibradores e brinquedos eróticos aumentou na Espanha durante quarentena.
Compra de vibradores e brinquedos eróticos aumentou na Espanha durante quarentena.

O confinamento imposto por conta do coronavírus está obrigando milhões de espanhóis a serem criativos para deixar a quarentena mais suportável. E eles não são os únicos: Itália, França, Alemanha, Estados Unidos e Brasil (apesar das orientações controversas do presidente) também impuseram restrições para impedir seus cidadãos de saírem de casa.

O fato de tantas pessoas passarem mais tempo em casa acabou levando a um aumento substancial nas vendas de brinquedos sexuais em nível mundial. A marca Womanizer, a primeira a lançar no mercado o tão conhecido sugador de clitóris, anunciou que suas vendas no primeiro trimestre do ano superaram todas as expectativas, algo que atribuem ao distanciamento social imposto pela covid-19.

Na Itália, o país europeu mais castigado pela pandemia, as vendas subiram 60% acima do previsto, e na França, subiram 40%. Nos Estados Unidos, a porcentagem de aumento chega a 75%, e no Canadá a nada menos que 135%. Se formos até a China, de onde veio o primeiro surto de coronavírus, veremos que em Hong Kong as vendas de sex toys cresceram 71%

A Womanizer informou ao jornal britânico Daily Mail que alguns de seus produtos, como o We-Vibe Chorus, estão com os estoques quase esgotados e que serão repostos aos poucos. A LELO, marca de sex toys de alto padrão, também observou um aumento em suas vendas. Seu departamento de comunicação na Espanha revelou que as vendas online cresceram 30% apenas no mês de março.

Entre os brinquedos mais vendidos dessa marca estão o sugador de clitóris Sona 2, o vibrador de estimulação dupla Soraya, o anel vibrador TOR e o brinquedo para casais Tiani 3, que inclui um controle remoto para experimentar.

O Satisfyer não aguenta mais e não pode acreditar que apenas dois dias se passaram.

A pandemia de covid-19 jogou por terra nosso modo de vida normal, também no que diz respeito às relações pessoais. Tanto assim que a prefeitura de Nova York publicou um guia que pode ser resumido mais ou menos como “o sexo nos tempos do coronavírus”.

“Você mesmo é seu parceiro sexual mais seguro”, diz o documento, que inclui mais de uma dezena de conselhos. “A masturbação não propagará a covid-19, especialmente se você lavar as mãos (e os brinquedos sexuais) por 20 segundos antes e depois do sexo.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost Espanha e traduzido do espanhol.