ENTRETENIMENTO
06/04/2020 17:00 -03

Por que devemos rever 'Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças'?

Em nossa 1ª edição do Cineclube HuffPost, a escritora e roteirista Renata Corrêa nos deu grandes insights sobre o filme cult de 2004.

Divulgação
Kate Winslet e Jim Carrey em cena do filme "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças" (2004).

Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças é um daqueles filmes que são tão amados por todos, que revisitá-lo dá até medo de que se possa “estragar” a memória afetiva que temos com ele. Mas não foi o que aconteceu em nossa primeiro edição do Cineclube Huffpost. Aliás, aconteceu o contrário. 

Só para explicar quem não faz ideia do que estamos falando, o Cineclube HuffPost foi uma ideia que tivemos para dar uma amenizada nesses dias de distanciamento social fazendo algo que adorávamos fazer quando era legal sair de casa: bater um papo sobre um filme depois de assistí-lo.

Dividido oito temas, o Cineclube traz, uma vez por semana, dois filmes que serão votados em nossas redes sociais. O escolhido será debatido com um convidado especial em uma live no Instagram toda sexta-feira, sempre às 21h.

E é aí que entra Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças, o primeiro filme a ser escolhido pelos leitores do HuffPost. A convidada da vez foi a carioca Renata Corrêa, escritora e roteirista que tem em seu currículo programas como 15 Minutos, Comédia e Furo MTV, Gaby Estrella, Greg News, entre outros. Atualmente faz parte da equipe de roteiristas do humorístico Fora de Hora, da Rede Globo.

Além de contar sobre sua relação com o segundo longa do cineasta francês Michel Gondry, que mudou depois de uma revisão 16 anos depois de seu lançamento, Renata nos deu alguns bons insights sobre a história como (ótima) roteirista que é.

“Você já percebeu que Clementine [personagem interpretada por Kate Winslet] aparece bem pouco na história fora da cabeça do Joel [personagem interpretado por Jim Carrey]? Contei os minutos aqui e ela aparece muito pouco na ‘realidade’. Apenas na primeira sequência, em que eles se cruzam na praia de Montauk, quando ele a revê na livraria e ela não o reconhece mais e quando ela faz uma viagem com Patrick [personagem interpretado por Elijah Wood]. E isso diz muito de como enxergamos ela de uma forma que ela não é na ‘vida real’”, disse Renata na live.

Curiosamente, essa constatação evidencia ainda mais a influência que brilho eterno teve na construção de romances indies que viraram tendência na primeira década dos anos 2000. Como o também cultuado (e amado) 500 Dias com Ela, do qual falamos ano passado em seu aniversário de 10 anos e que gerou bastante polêmica.

Clementine é provavelmente a primeira manic pixie dream girl, termo criado pelo crítico Nathan Rabin em 2007. A MPDG é uma garota “maluquinha”, de espírito livre e atraente que parece diferente e perfeita em tudo. Um tipo de sonho masculino que em Brilho Eterno nos é descrita quase que exclusivamente pela visão de Joel. 

Renata também ressaltou o trabalho de Charlie Kauffman, roterista que quebrou as barreiras de sua profissão tornando seu nome tão conhecido quanto o de cineastas famosos, e porque a parceria com Gondry deu tão certo. ambos trabalham com a realidade e o sonho se misturando em uma só narrativa cheia de quebras temporais marcadas por elementos visuais. “Um bom indicador disso é a cor do cabelo da Clementine, que muda para indicar o clima em que a relação se encontra”, pontuou.

Sobre como é assistir um mesmo filme anos depois e mudar nossa percepção sobre a obra, Renata discorreu a respeito de sua cena preferida. “Quando vi pela primeira vez era bem mais jovem. A gente tende a ser mais romântica. A cena que eu gostava mais era aquela em que Clementine e Joe deitavam no lago congelado e ele dizia que aquele era o momento mais feliz da vida dele, mas agora eu gostei mais de quando ela está com Patrick no lago congelado e ele diz as mesmas palavras de Joel, mas aquilo não significa nada para ela. As palavras não interessam se o sentimento não existe.”

E aí, ficou com vontade de participar dessa conversa sobre aquele filme que você acha especial? Então fique ligado em nossas redes sociais, pois nesta quarta (8) abriremos a votação para a segunda edição do Cineclube HuffPost. E você já sabe, nos vemos na próxima live nesta sexta (10), às 21h.