NOTÍCIAS
13/02/2020 17:06 -03 | Atualizado 13/02/2020 19:08 -03

Bolsonaro anuncia saída de Onyx da Casa Civil para Ministério da Cidadania e demissão de Osmar Terra

Pelo Twitter, presidente informou que Osmar Terra, atual chefe da Cidadania, retorna para a Câmara.

Adriano Machado / Reuters

O presidente Jair Bolsonaro anunciou no fim da tarde desta quinta-feira (13) a transferência do ministro Onyx Lorenzoni da Casa Civil para o Ministério da Cidadania e o retorno do atual comandante da Cidadania, Osmar Terra, para a Câmara dos Deputados. 

Quem vai ficar no lugar de Onyx é o general Walter Souza Braga Netto, convidado para a vaga na terça (11) quando esteve em reunião com o presidente no Planalto. 

Comunicado da decisão do chefe após um almoço com ele na quarta, Osmar Terra chegou a ser convidado para assumir uma embaixada, mas recusou a oferta. Pelo Twitter, disse que “estará onde for mais importante para o governo e para o presidente Jair Bolsonaro”. 

A troca na Casa Civil já era dada como certa, mas não havia previsão para ser oficializada.

Onyx teve sua função esvaziada nos últimos meses. Teve tirados de si a articulação política e a Subchefia para Assuntos Jurídicos em junho, quando em troca recebeu o PPI (Programa de Parcerias de Investimentos). 

Após o episódio com o avião da Força Aérea Brasileira usado por seu ex-secretário executivo Vinicius Santini, demitido pelo presidente, abriu-se uma nova frente de crise. O caso serviu, conforme avaliação no Palácio do Planalto, de “bode expiatório”. 

Atendendo a um pedido do ministro da Economia, Paulo Guedes, Bolsonaro passou o PPI para a pasta, esvaziando de vez a Casa Civil. Onyx conseguiu se segurar no cargo por ainda duas semanas e houve quem acreditasse que ele não perderia o posto. O presidente tem por ele uma “dívida de gratidão” por ter sido o ministro o primeiro a apostar em Bolsonaro presidente. Contudo, a pressão interna falou mais alto. 

Na quarta, Bolsonaro avisou a Onyx oficialmente de seus planos, que deu a resposta positiva ao convite para migrar de pasta. O ministro não queria voltar para a Câmara dos Deputados, já que almeja disputar o governo do Rio Grande do Sul em 2022 e, para isso, pretende permanecer em um cargo na Esplanada dos Ministérios, considerado um bom palanque. 

No Twitter, Onyx agradeceu aos que o acompanham e afirmou que recebeu uma nova missão, que desempenhará pelo bem do Brasil. Aproveitou para dizer que “não importa o número da camiseta” no time do Bolsonaro.

“O time do Bolsonaro é humilde, unido e é forte. Aqui não importa o número da camiseta. O presidente me entrega hoje uma nova missão e eu vou cumprir com a mesma dedicação e o empenho.”

O time do Bolsonaro é humilde, unido e é forte. Aqui não importa o número da camiseta.Onyx Lorenzoni

A cerimônia de posse de Onyx no Ministério da Cidadania, e Braga Netto na Casa Civil será, conforme o tuíte do presidente, na próxima terça (18), às 15h.