NOTÍCIAS
06/07/2020 19:55 -03 | Atualizado 06/07/2020 22:17 -03

Bolsonaro afirma estar com suspeita de covid-19

Após comparar covid com "gripezinha", o presidente admitiu ter feito uma "chapa do pulmão" no dia que País passou de 1,6 milhão de casos.

Adriano Machado / Reuters
Presidente confirma suspeita de coronavírus. 

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na noite desta segunda-feira (6), que está com suspeita de covid-19. A declaração foi feita a apoiadores na frente do Palácio da Alvorada

O presidente disse ainda já ter se submetido a um exame para averiguar se seus sintomas são, de fato, de covid-19 ou algum outro problema. Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação informou que o resultado está previsto para esta terça-feira, 7. “O presidente apresenta, nesse momento, bom estado de saúde e está em sua residência”, diz a Secom, em nota.

Este seria pelo menos o quarto exame de coronavírus ao qual Bolsonaro se submete, mas a primeira vez em que admite publicamente estar com suspeita de covid-19. 

Segundo a CNN Brasil, Bolsonaro disse à emissora que está com 38ºC de febre e 96% de taxa de oxigenação no sangue. Ele afirmou ainda que está tomando hidroxicloroquina.

O Palácio do Planalto ainda não se pronunciou oficialmente sobre a afirmação do presidente na porta da residência oficial da Presidência. 

Bolsonaro disse que foi submetido a um exame de raio-X do pulmão, mas o órgão não está comprometido. “Fiz uma chapa do pulmão agora há pouco, está limpo o pulmão, tá certo? Vou fazer o exame do covid agora a pouco. Está tudo bem”, destacou a apoiadores que queriam que ele se aproximasse.

Jair Bolsonaro tem defendido o fim do isolamento social e, por diversas vezes, chegou a comparar o vírus com uma “gripezinha”. 

Ele tem, inclusive, ignorado as recomendações de uso de máscara e ainda hoje vetou trechos da lei que obrigava uso do item em presídios. Bolsonaro já havia vetado o uso de máscaras em igrejas, comércios e escolas. 

O Brasil tem mais de 1,6 milhão de infectados e 65,4 mil mortos por coronavírus conforme balanço divulgado nesta segunda pelo Conass (Conselho Nacional dos Secretários de Saúde).