POLÍTICA
16/05/2019 12:35 -03

Bolsonaro diz que não vai mudar forma de se relacionar com o Congresso

Presidente sofreu derrota esta semana e não tem votos suficientes para aprovar a reforma da Previdência.

Adriano Machado / Reuters
"O Brasil pediu uma nova forma de se relacionar com os poderes da República, e assim seguirei, em respeito máximo à população", afirmou o presidente. 

O presidente Jair Bolsonaro não vai ceder às pressões provocadas pelas derrotas sofridas no Congresso para mudar a articulação política. No Twitter, ele afirmou que o Brasil pediu uma nova forma para se relacionar com os poderes da República e, em respeito à população, assim seguirá.

A declaração do presidente ocorre no momento em que o governo não tem votos para aprovar a reforma da Previdência e tem sido alvo de críticas pelo acúmulo derrotas no Congresso.

Líderes de partidos com afinidade política com o governo têm dado sinais claros de insatisfação. Foi orquestrado por eles, com apoio da oposição, o movimento que levou à convocação do ministro da Educação, Abraham Weintraub, para prestar esclarecimentos no plenário da Câmara dos Deputados.

Por 6 horas, Weintraub foi questionado pelos parlamentares e ouviu queixas de que o governo prioriza “cortina de fumaça” e “questões ideológicas”.

No plenário da Casa, o deputado do Cidadania Daniel Coelho (PE) reclamou da maneira como o governo tem tratado o Parlamento. Ele destacou o episódio em que 12 deputados viram o presidente ligar para o ministro da Educação e pedir a suspensão do corte no orçamento das universidades.

Em seguida, uma nota da Casa Civil informou que o corte seguia. O texto irritou os deputados que sentiram que se passaram como mentirosos.

“A maneira como o Ministro Onyx se portou com os Parlamentares que lá estiveram, a maneira como esse assunto vem à tona, isso atrapalha por completo o próprio debate que está ocorrendo na Casa, não só sobre educação, mas também sobre Previdência.”

O parlamentar pediu ainda esforço do governo para “virar a página”.