ENTRETENIMENTO
21/04/2019 17:09 -03

Contra patrocínio da Petrobras à cultura, Bolsonaro usa vídeo editado e com erros

Montagem mostra imagens de exposições que não foram patrocinadas pela estatal, segundo jornal O Globo.

ASSOCIATED PRESS

Mais uma vez o presidente Jair Bolsonaro se manifestou contra o patrocínio, pela Petrobras, de projetos culturais.

Neste domingo, ele tuitou um vídeo acompanhado da legenda: “Respeitando a aplicabilidade do dinheiro público, determinamos a revisão dos contratos vigentes e possibilidades futuras da Petrobras ligados ao setor que alguns dizem ser de cultura. A ordem é saber o que fazem com bilhões da população brasileira.”

O vídeo mostra um trecho de discussão na GloboNews justamente sobre a revisão dos projetos da Petrobras.

O problema é que o vídeo está editado - o que não é informado pelo presidente - e a versão publicada por Bolsonaro traz imagens de projetos que não foram patrocinados pela estatal, como a exposição “Queermuseu” - promovida pelo banco privado Santander - e a peça “Macaquinhos”, com atores nus.

 

A informação foi dada pelo jornal O Globo, que não só identificou a alteração do vídeo, como tem a relação de todos os projetos patrocinados pela Petrobras desde 2009 - onde não constam as 2 exposições.

Segundo o jornal, o filme de temática LGBT “Hoje eu quero voltar sozinho” (2014), que também aparece no vídeo publicado pelo presidente, é outro que não foi patrocinado pela estatal.

O vídeo traz a marca “Direitas” no canto inferior direito, mas não está claro quem fez as alterações.

Não é nem de longe a primeira vez que o presidente usa informações falsas para defender suas bandeiras no Twitter.

Já na primeira semana no poder, Bolsonaro retuitou perfis falsos no Twitter, que imitam perfis de jornais e jornalistas para divulgar notícias falsas.

Em março, dando continuidade à estratégia de ataque à imprensa, o presidente usou uma informação falsa para atacar a jornalista Constança Rezende, do jornal O Estado de S.Paulo. Em seu perfil no Twitter, o presidente atribuiu falsamente à repórter a declaração de que teria intenção de “arruinar Flávio Bolsonaro″ e buscar o impeachment do presidente.

A frase teria sido dita pela jornalista, segundo a denúncia de um jornalista francês que é citado pelo Terça Livre, site bolsonarista que dissemina fake news.

Contudo, o site francês Mediapart, que é creditado pelo site bolsonarista, desmentiu a informação.

“As informações publicadas no ‘club de Mediapart’, que serviram de base para o tuíte de @jairbolsonaro, são falsas”, publicou o site francês.

No último dia 15, a Petrobras já havia anunciado o corte do patrocínio de 13 iniciativas culturais que apoiava historicamente. Entre os projetos que não receberão mais apoio estão o Prêmio da Música Brasileira, a Casa do Choro do Rio de Janeiro, o Clube do Choro de Brasília e os festivais de cinema do Rio,  de São Paulo e de Brasília.