NOTÍCIAS
12/03/2019 13:54 -03

Bolsonaro e presidente do Paraguai reforçam apoio a Guaidó na Venezuela

Países confirmam compromisso com povo venezuelano no processo de transição para o restabelecimento da democracia.

EFE
Países confirmam compromisso com povo venezuelano no processo de transição para o restabelecimento da democracia.

Os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e do Paraguai, Mario Abdo Benítez, reforçaram nesta terça-feira (12), o compromisso de manter o apoio ao líder opositor e autodeclarado presidente da Venezuela, Juan Guaidó. Ambos os países não consideram legítimo o governo de Nicolás Maduro.

De acordo com declaração divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE), os chefes de Estado reiteraram o compromisso ao povo venezuelano no processo de transição rumo ao restabelecimento da democracia”.

Brasil e Paraguai integram o Grupo de Lima, formado por países para pressionar pelo fim da ditadura na Venezuela. Abdo já anunciou o rompimento das relações com o país latino.

Em visita oficial ao Brasil, o presidente do Paraguai foi recebido por Bolsonaro no Palácio do Planalto. Também militar e conservador, Abdo convidou o capitão da reserva para retribuir a visita em seu país.

No encontro, os chefes de Estado também reforçaram a cooperação bilateral no combate ao crime organizado transnacional e “comprometeram-se a intensificar ainda mais os contatos entre autoridades de segurança e inteligência para aprimorar a coordenação”, de acordo com o Itamaraty. O objetivo é eliminar as organizações criminosas em ambos os países.

Bolsonaro agradeceu o empenho das autoridades paraguaias para acelerar a expulsão do país de criminosos brasileiros de alta periculosidade, entregues à Polícia Federal. “Nosso governo não dará asilo para terroristas ou qualquer outro bandido escondido aqui”, disse em declaração à imprensa.

Abdo, por sua vez, reforçou a aproximação entre os dois países. Ele defendeu alianças para “gerar resultados e desenvolvimento para ambos os povos para que possam viver o que talvez seja a melhor etapa história desde o início das nossa relações bilaterais”.

Os presidentes destacaram a administração conjunta da Usina Hidrelétrica Binacional de Itaipu. De acordo com eles, as futuras negociações de revisão do Anexo C do Tratado de Itaipu devem orientar-se pelo mesmo espírito de “entendimento construtivo”, segundo o Itamaraty.