POLÍTICA
10/07/2019 10:06 -03 | Atualizado 10/07/2019 10:23 -03

Bolsonaro diz que escolherá ministro ‘terrivelmente evangélico’ para o STF

"O estado é laico, mas nós somos cristãos."

Ueslei Marcelino / Reuters
Bolsonaro falou após participar de cerimônia religiosa na Câmara.

No dia em que a Câmara dos Deputados prevê votar a reforma da Previdência, o presidente Jair Bolsonaro voltou a falar em ministro evangélico para o STF (Supremo Tribunal Federal). Desta vez, ele indicou que dos dois que poderá nomear, um será “terrivelmente evangélico”.

“Muitos tentam nós deixar de lado dizendo que o estado é laico. O estado é laico, mas nós somos cristãos. Ou para plagiar a minha querida Damares [Alves]: Nós somos terrivelmente cristãos. E esse espírito deve estar presente em todos os poderes. Por isso, o meu compromisso: poderei indicar dois ministros para o Supremo Tribunal Federal [STF]. Um deles será terrivelmente evangélico.”

Reforma

Ele falou após participar de cerimônia religiosa na Câmara. Na ocasião, ele disse que conta com o apoio dos parlamentares para a “votação e aperfeiçoamento” de projetos importantes para o país.

Perguntado sobre a expectativa para a votação no plenário da Câmara da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Previdência, o presidente respondeu: “Vitória.”

Bolsonaro também elogiou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), um dos principais articuladores da reforma previdenciária. Segundo o presidente, Maia tem “conduzido as questões de interesse do país” na Câmara.

Acompanhando o presidente em culto evangélico na Câmara, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse esperar 330 votos a favor da reforma previdenciária na votação desta quarta-feira.

Por ser uma PEC, a reforma previdenciária precisa de 308 votos entre os 513 deputados para ser aprovada na Câmara, em dois turnos de votação.