MULHERES
13/06/2019 16:14 -03 | Atualizado 13/06/2019 16:51 -03

Cumprindo decisão judicial, Bolsonaro pede desculpas a Maria do Rosário

Em nota, presidente afirmou que as mulheres brasileiras são "prioridade" de seu governo.

Monstagem/Reuters

Após determinação da Justiça, o presidente Jair Bolsonaro publicou nesta quinta-feira (13) um nota em que pede desculpas por dizer que a deputada Maria do Rosário (PT-RS) “não merecia ser estuprada”. 

No texto, publicado em sua conta oficial do Twitter, o presidente afirmou que “no calor do momento, em embate ideológico entre parlamentares”, repetiu uma discussão que já havia tido com a deputada petista.

“Após ser injustamente ofendido pela congressista em questão, que me insultava, chamando-me de estuprador, retruquei afirmando que ela ‘não merecia ser estuprada’”, diz a nota.

Segundo o parecer da Justiça, Bolsonaro terá de publicar as desculpas também em um jornal de grande circulação.

Nas redes sociais, a retratação deve permanecer pública por pelo menos um mês nas redes sociais. 

O presidente também afirmou que as mulheres brasileiras são “prioridade de meu governo, o que tem sido e será sempre demonstrado através de ações concretas. Assim, reforço meu respeito a todas as mulheres.”

Em fevereiro de 2019, o STF (Superior Tribunal Federal) manteve a condenação de Bolsonaro e elevou de 10% para 15% o valor dos honorários que deverão ser pagos à defesa da deputada.

De acordo com a defesa do presidente, as declarações de Bolsonaro estariam protegidas pela imunidade parlamentar prevista na Constituição. O mesmo argumento já havia sido rejeitada pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça).

 

Bolsonaro foi condenado em 2014 a indenizar a deputada em R$ 10 mil. Em dezembro daquele ano, a deputada discursou sobre a importância da Comissão Nacional da Verdade, e, em seguida, Bolsonaro subiu ao plenário e retrucou: “Há poucos dias você me chamou de estuprador no Salão Verde e eu falei que não estuprava você porque você não merece. Fique aí para ouvir”.