NOTÍCIAS
25/01/2020 13:43 -03 | Atualizado 25/01/2020 14:08 -03

Na Índia, Bolsonaro joga flores no túmulo de Gandhi, que pregava a 'não-violência'

Presidente é convidado de honra das comemorações pelo dia da República da Índia, celebrado no domingo (26) e firmou acordos com o país.

Alan Santos/PR/Divulgação/Palácio do Planalto
Jair Bolsonaro (ao centro) em cerimônia no túmulo de Mahatma Gandhi, considerado herói pacifista, responsável pela independência da Índia em relação ao Reino Unido em 1947.

Em visita à Índia, o presidente Jair Bolsonaro cumpriu uma tradição, assim como a maioria dos chefes de Estado e levou flores ao memorial do líder pacifista Mahatma Gandhi, considerado um herói pela maioria dos indianos.

A cerimônia durou cerca de 10 minutos. Bolsonaro jogou flores no túmulo e foi presenteado com um busto de Gandhi.

Segundo a Folha, quando questionado por jornalistas, o presidente disse ficou emocionado. ”É uma cerimônia que toca a alma da gente, o país tem suas tradições, tem sua história, e, assim como Brasil, é um país emergente.”

Quando questionado sobre as diferenças entre eles e o que pensa sobre o líder pacifista, acentuou que é ele é “um capitão do exército, ele [Gandhi] é um pacifista”. 

“Olha, eu sou um capitão do Exército, ele é um pacifista, tá certo? Mas, obviamente, a gente reconhece o seu passado sempre pregando a paz, a harmonia, a liberdade”, disse, segundo o Estadão.

Em seu perfil no Twitter, Bolsonaro publicou um vídeo em que mostra o momento da visita.

A tradição de levar líderes estrangeiros em uma visita ao túmulo de Gandhi e oferecer flores a ele é uma forma de validar a importância do líder indiano para o país. Em 1947, ele teve papel decisivo no processo de independência da Índia em relação ao Reino Unido por pregar a não-violência.

Gandhi foi assassinado com três tiros pelo extremista hindu Nathuram Godse, em 1948. O memorial foi construído no local onde o líder pacifista foi cremado.

Esta é a primeira visita de Bolsonaro à Índia. O presidente é convidado de honra das comemorações pelo dia da República da Índia, comemorado neste domingo (26), e que marca a resistência do país frente a colonização inglesa.

ASSOCIATED PRESS
Ativistas gritam slogans enquanto seguram cartazes durante um protesto contra a visita do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, em Mumbai, Índia.

O convite ao mandatário brasileiro é a maior honra concedida do país a líderes estrangeiros. A escolha por Bolsonaro foi duramente criticada pela imprensa indiana por considerar que ele é “extremista e homofóbico” e “não condiz com os princípios da Constituição do país, que pregam a liberdade e igualdade.”

Bolsonaro, segundo o jornal O Globo, refutou comparações com o premier indiano, que é nacionalista e de direita e tem sido alvo de críticas internacionais e recentemente foi acusado de cultivar práticas antidemocráticas no país. Sua visita à Índia também foi alvo de protestos em Nova Délhi e Mumbai.

Os acordos entre Brasil e Índia

Altaf Hussain / Reuters
O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, durante recepção cerimonial no pátio do Rashtrapati Bhavan.

Bolsonaro e o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, também assinaram neste sábado, em Nova Délhi, vários acordos bilaterais, englobando áreas comerciais, de bioenergia, segurança cibernética e agropecuária.

De acordo com Bolsonaro, os 15 acordos fechados são determinantes para alavancar a cooperação com o país asiático. “Nós, pela identidade existente, pela potencialidade das nossas nações, vamos avançar e muito”, afirmou, conforme informações no site da Presidência da República.

Modi acrescentou que o abrangente plano de ação foi preparado para até o ano 2023, quando os dois países vão comemorar Jubileu de Platina (70 anos) das relações, também segundo o Planalto.

O Ministério das Relações Exteriores brasileiro divulgou nota afirmando que foi assinado um acordo de Cooperação e Facilitação de Investimentos (ACFI), que contribuirá para estreitar ainda mais a cooperação econômica bilateral.

No Twitter, Bolsonaro publicou uma foto da reunião oficial com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, citando a assinatura dos vários acordos e ressaltando “grande interesse” indiano no desenvolvimento de biocombustíveis de etanol. 

“A confiança do mundo no Brasil está de volta!”, escreveu o presidente brasileiro na rede social.

Narendra Modi também publicou fotos com Bolsonaro na rede social, afirmando que o encontro, o terceiro em oito meses, reflete a prioridade que o país dá à expansão dos laços Índia-Brasil.

Ele também citou que os dois países estão focados na expansão da cooperação no setor de defesa e que o país vê “imensas sinergias em várias questões, incluindo a necessidade de eliminar a ameaça do terrorismo”.

Bolsonaro realiza visita de Estado à Índia até 27 de janeiro.

De acordo com informações no jornal O Globo, Bolsonaro disse ter recebido do primeiro-ministro indiano pedido para que o Brasil retire um questionamento na Organização Mundial do Comércio (OMC) a respeito do açúcar.

“Ele [Modi] me disse que o açúcar comerciado para fora equivale a 2% do montante. Então, isso é pequeno. Pedi ao Ernesto Araújo [ministro das Relações Exteriores] para [verificar] a possibilidade de rever essa posição do Brasil”, declarou.

Conselho da ONU

Altaf Hussain / Reuters
Bolsonaro e Narendra Modi durante reunião em  Hyderabad House, em Nova Delhi.

De acordo com o Planalto, o primeiro-ministro da Índia demonstrou apoio ao ingresso do Brasil como membro não permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU), para um mandato de 2 anos, no período de 2022 a 2023. A Índia também pleiteia uma vaga.

“Nós vamos juntos, de mãos dadas, trazer reformas para a questão do Conselho de Segurança da ONU e em outras organizações internacionais”, disse.

“Acredito que seria bom para o Brasil e para o mundo Brasil e Índia estarem nesse grupo”, disse Bolsonaro sobre a entrada dos dois países no Conselho, durante entrevista a jornalistas.

Agenda de Bolsonaro em visita à Índia:

Domingo (26):

10h - Cerimônia do Dia da República 

15h55 - Cerimônia de apresentação de Altos Dignitários

 

Segunda (27):

08h45 - Café da manhã de trabalho com empresários indianos sobre “Oportunidades de investimentos em Infraestrutura - transportes, mineração, energia, petróleo e gás natural”

10h30 - Abertura do seminário empresarial Brasil-Índia

15h - Partida para Agra

16h - Visita ao Taj Mahal

18h - Partida de Agra

 

Terça (28):

Chegada a Brasília

 

*Hora local (8 horas à frente do horário de Brasília)

 

(Com informações da Reuters)