NOTÍCIAS
13/05/2020 15:38 -03 | Atualizado 13/05/2020 16:05 -03

Com pseudônimos, exames de Bolsonaro para coronavírus deram negativo

Presidente usou os nomes Airton e Rafael.

Andressa Anholete via Getty Images

Os exames do presidente Jair Bolsonaro que a AGU (Advocacia-Geral da União) entregou ao STF (Supremo Tribunal Federal) indicam resultado negativo para covid-19

O presidente usou os pseudônimos Airton Guedes e Rafael Augusto da Costa Ferraz. A identificação, no entanto, conta com CPF, RG e data de nascimento do próprio presidente.

 

Divulgação
Divulgação
Divulgação

Os laudos dos três exames foram entregues após determinação do ministro Ricardo Lewandowski, em resposta a um pedido feito pelo jornal O Estado de S. Paulo. O STJ (Superior Tribunal de Justiça) havia negado o pedido do jornal, que antes havia sido autorizado pelo Tribunal de Justiça de SP.

Em um trecho do ofício entregue ao Supremo, o comandante de Logística do Hospital das Forças Armadas, Rui Matsuda, afirma que o uso de pseudônimo foi uma medida de segurança para proteger a imagem do presidente.

“Dentro desse contexto e considerando que são constitucionalmente protegidas a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas e por questão de segurança foram adotadas medidas de proteção aptas a salvaguardar os dados pessoais do senhor presidente da República Jair Messias Bolsonaro, de acessos não autorizados e de situações acidentais ou ilícitas de destruição, perda, alteração, comunicação ou difusão, por se tratar de dado pessoal sensível referente à sua saúde.”

Aos ministros de seu governo, o presidente havia dito que não entregaria “porcaria” de exame nenhum porque poderia levar a um processo de impeachment. O relato foi feito à imprensa por pessoas que assistiram o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril.