NOTÍCIAS
06/08/2019 18:36 -03

Ministério Público barra indicação de Bolsonaro para comissão sobre ditadura

De perfil conservador, Ailton Benedito já usou suas redes sociais para exaltar a ditadura militar.

EVARISTO SA via Getty Images

O Conselho Superior do Ministério Público Federal rejeitou nesta terça-feira (6) a indicação do governo de Jair Bolsonaro para que o procurador Ailton Benedito se tornasse membro da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos (CEMDP).

O nome de Benedito foi enviado à Procuradoria-Geral da República (PGR) por meio de um pedido do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, pasta liderada pela ministra Damares Alves. Ele foi sugerido para ocupar o posto do também procurador Ivan Marx.

Em sessão do conselho na tarde dessa terça, a indicação foi rejeitada por 6 conselheiros e aprovada por outros 4.

O argumento para a negativa foi de que o presidente não poderia escolher o membro do MPF que deverá ocupar a comissão, já que essa responsabilidade cabe à PGR.

De acordo com a procuradoria, o Conselho Superior do MPF não chegou a discutir o mérito sobre a qualificação de Benedito para o cargo ou não. 

De perfil conservador, Ailton Benedito é atualmente procurador-chefe da Procuradoria da República em Goiás.

Ele já usou suas redes sociais para exaltar a ditadura militar e fez postagens comemorando o golpe no dia 31 de março deste ano. 

Em seu Twitter, Benedito repercutiu a decisão do órgão e disse que, independentemente de integrar ou não a comissão, o importante é que “a verdade se mostra nua e crua”.