NOTÍCIAS
18/03/2019 16:31 -03 | Atualizado 18/03/2019 16:37 -03

Bolsonaro dispensa visto para turistas dos EUA, em decisão unilateral

Medida foi publicada no Diário Oficial e inclui também Japão, Canadá e Austrália. Brasileiros seguem tendo que pedir visto aos EUA.

Isac Nóbrega/PR
Com Bolsonaro em Washington, Brasil dispensa visto para 4 países, incluindo os EUA.

A partir de 17 de junho, turistas dos Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália não precisarão mais de visto para entrar no Brasil. O decreto com as dispensas foi publicado nesta segunda-feira (18) em edição extra do Diário Oficial da União.

Os turistas poderão permanecer no Brasil por 90 dias, prorrogável pelo mesmo período. Eles só não poderão ultrapassar o limite de 180 dias em um ano no Brasil.

A decisão assinada pelos ministros Sérgio Moro, da Justiça, Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e Marcelo Henrique Teixeira Dias, do Turismo, foi publicada no momento em que os dois primeiros acompanham o presidente Jair Bolsonaro em viagem oficial aos Estados Unidos.

A medida é unilateral e não conta com qualquer promessa de reciprocidade, como costuma ocorrer. Brasileiros continuam obrigados a passar pelo processo de visto. Para o Canadá, desde o ano passado é exigida dos brasileiros apenas uma Autorização Eletrônica de Viagem.

No caso dos Estados Unidos, não ocorreu nem mesmo a inclusão do Brasil no chamado “Global Entry”, que agiliza a entrada no país de viajantes frequentes, como empresários.

De acordo com o chanceler Ernesto Araújo, a medida é uma forma de fomentar o turismo no País. Esses mesmos países tiveram a isenção de visto no período das Olimpíadas, em 2016.

Há diplomatas que discordam do governo, com o argumento de que a medida impede qualquer tipo de barganha para negociar flexibilização no visto do lado oposto.

O próprio filho do presidente, deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sugeriu que os EUA estão certos em não liberar a isenção de visto aos brasileiros.

“Será que estou falando um grande absurdo ao dizer que, sem a necessidade de visto, várias pessoas entrariam nos EUA de maneira ilegal e ilegalmente permaneceriam lá? Acredito que não”, disse.

“A pergunta que faço é a seguinte: quantos americanos vão vir morar ilegalmente no Brasil com essa brecha? E se os EUA permitirem que o brasileiro entre lá sem visto? Quantos brasileiros vão se passar por turista para vir morar ilegalmente aqui?”, afirmou, em evento em Washington no sábado (16). Bolsonaro não estava presente, ele chegou aos EUA no domingo (17).

No domingo, após chegar a Washington para uma viagem de três dias, Bolsonaro postou em sua conta no Twitter que, “pela primeira vez em muito tempo, um presidente brasileiro que não é anti-americano chega a Washington”. 

″É o começo de uma parceria de liberdade e prosperidade, como os brasileiros sempre desejaram”, escreveu.