NOTÍCIAS
11/04/2019 11:09 -03 | Atualizado 11/04/2019 11:32 -03

Bolsonaro se solidariza com Danilo Gentili e chama injúria de ‘piadas’

Apresentador e comediante foi condenado à prisão por injúria contra a deputada Maria do Rosário.

Reprodução/YouTube
No Twitter, Gentili se disse honrado com o apoio do presidente.

O presidente Jair Bolsonaro se solidarizou nesta quinta (11) com o apresentador e comediante Danilo Gentili, condenado à prisão por injúria contra a deputada Maria do Rosário (PT-RS). No Twitter, Bolsonaro, que é réu em uma ação que envolve a deputada, afirmou que ele mesmo, por vezes, é alvo.

Ele diz se solidarizar com o apresentador ao exercer o direito de livre expressão e sua profissão. “Da qual, por vezes, eu mesmo sou alvo, mas compreendo que são piadas e faz parte do jogo, algo que infelizmente vale para uns e não para outros”, disse.

No Twitter, Gentili afirmou estar muito honrado com o apoio do presidente. “Assim como nunca imaginei um dia ser condenado à prisão por protestar contra censura, nunca imaginei também contar com apoio presidencial.”

Bolsonaro é réu no STF (Supremo Tribunal Federal) em uma ação que apura a declaração que ele fez em 2014, na qual diz que Maria do Rosário não merecia ser estuprada porque ele a considera “muito feia”.

Já Gentili, foi condenado a 6 meses e 28 dias de detenção no semiaberto por causa de um vídeo publicado por ele em 2017. Na gravação, Gentili rasga um documento enviado pela Procuradoria Parlamentar da Câmara dos Deputados, coloca os papéis dentro de sua calça, em suas partes íntimas, e vai aos Correios enviar a notificação de volta à Câmara.

Segundo a sentença, o documento era uma tentativa de conciliação extrajudicial para que ele apagasse tuítes sobre a deputada.

De acordo com a sentença, o apresentador “injuriou, através de vídeo veiculado na internet, a deputada federal ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro, atribuindo-lhe alcunha ofensiva, bem como expôs, em tom de deboche, a imagem dos servidores públicos federais e a Câmara dos Deputados”.

 “Se a intenção do acusado não fosse a de ofender, achincalhar, humilhar, ao ser notificado pela Câmara dos Deputados, a qual lhe pediu apenas que retirasse a ofensa de sua conta do Twitter, o acusado poderia simplesmente ter discordado ou ter buscado a orientação jurídica de advogados para acionar pelo que entendesse ser seu direito”, acrescenta.

O apresentador reagiu com ironia.

Essa não é a única ação que corre na Justiça contra o comediante. No Twitter, Maria do Rosário comemorou a decisão. “Considero a decisão um símbolo de que é possível preservar a liberdade de expressão e garantir a dignidade humana”, disse.