NOTÍCIAS
14/03/2020 12:29 -03

Bolsonaro terá que se isolar e passar por novo teste de coronavírus, diz jornal

Primeiro exame do presidente deu negativo; No total, 4 integrantes da comitiva de Bolsonaro nos EUA tiveram contaminação por coronavírus confirmada.

Adriano Machado / Reuters
Bolsonaro chega ao Alvorada após revelar que seu exame de coronavírus deu negativo.

O presidente Jair Bolsonaro deve realizar um novo teste de coronavírus nos próximos dias, e até lá, ficar em isolamento. A informação foi divulgada pelo jornal o Estado de S. Paulo e pela GloboNews.

Bolsonaro divulgou na sexta-feira (13), que os dois exames feitos por ele deram negativo para o coronavírus. No entanto, pelo tempo que esteve próximo ao secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, durante a viagem para os Estados Unidos, o presidente precisaria ser submetido a novos exames em uma semana. A informação não foi confirmada oficialmente pelo Planalto.

Segundo o jornal, “a quarentena do presidente deve durar até o começo da próxima semana para que se cumpra um prazo mínimo de sete dias após o último contato com a doença, segundo informou um integrante da equipe médica”. O último encontro de Bolsonaro com o secretário foi na madrugada de quarta-feira (11). 

Wajngarten teve o diagnóstico positivo confirmado na última quarta-feira. Como o HuffPost Brasil mostrou, no entanto, ele já apresentava sintomas durante a viagem e se recusou a fazer o exame do coronavírus nos Estados Unidos. Segundo o HuffPost apurou com fontes do Itamaraty e do Planalto, o secretário temia que tivesse que ficar em quarentena nos EUA e fosse impedido de voltar para o Brasil. 

O secretário esteve junto na comitiva que se encontrou com o presidente americano, Donald Trump, em Miami, e chegou a tirar foto ao seu lado. 

Quatro infectados na comitiva de Bolsonaro

Nos últimos dois dias, mais três pessoas que integraram a comitiva brasileira nos Estados Unidos testaram positivo: o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), o encarregado de negócios do Brasil em Washington, embaixador Nestor Forster, e a advogada do presidente e tesoureira do Aliança pelo Brasil, Karina Kufa.

Bolsonaro, o filho Eduardo, a primeira-dama, Michelle, e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, testaram negativo, segundo o governo.

O infectologista Celso Granato, diretor clínico do laboratório Fleury, disse ao jornal Estado de S. Paulo que o paciente que não apresenta sintomas de coronavírus e já recebeu um resultado negativo deve continuar em quarentena se o contato com a pessoa infectada tiver ocorrido há menos de 12 dias.