NOTÍCIAS
01/07/2020 16:39 -03 | Atualizado 01/07/2020 21:01 -03

Com mesmo nome de programa de Hugo Chávez, nova campanha de Bolsonaro usa fotos fake

"Alô Presidente" coloca Jair Bolsonaro para responder a perguntas de dois supostos nordestinos. Fotografias, porém, podem ser encontradas em sites de imagens pagas.

Reprodução
Print de trecho do vídeo veiculado nesta quarta-feira (1º) pelo presidente em suas redes no qual há uso de fotos encontradas em banco de imagens pagas.

O presidente Jair Bolsonaro publicou em seu Twitter, nesta quarta-feira (1º), um vídeo no qual conversa com duas pessoas sobre as obras da transposição do rio São Francisco. Acontece que a foto das duas pessoas que supostamente participam do bate-papo com ele constam em banco de imagens pagas. O vídeo foi retirado do ar após a polêmica instalada.

O HuffPost questionou a Secretaria de Comunicação da Presidência a respeito. Perguntou se as imagens foram conseguidas em banco de dados e como ocorreu o contato com as pessoas. Não houve retorno direto às perguntas do HuffPost.

A Secretaria de Comunicação, contudo, divulgou uma nota em que afirma que o vídeo “trata-se de uma peça piloto inacabada que não deverá ser veiculada, não possuindo caráter oficial”. “De todo modo, a fim de sanar qualquer tipo de distorção dos fatos, o vídeo foi retirado do ar.”

A contradição foi levantada pelo perfil Cerca Livre do Twitter, que destacou que a primeira personagem do filme publicitário do governo, chamada no vídeo de Maria Eulina, que seria do Ceará, pode ser encontrada no site istockphoto.com. A coluna do jornalista Guilherme Amado, no site da revista Época, também encontrou a foto no Dreams Time.  

O vídeo segue com outra imagem, desta vez de um homem que se chamaria Francisco Valmar e seria do Rio Grande do Norte. A coluna de Guilherme Amado encontrou a foto de Valmar no banco de imagens ShutterStock.

Intitulada “Alô Presidente”, a campanha publicitária tem mesmo nome de uma propaganda de Hugo Chávez, que transmitia suas políticas de governo na Venezuela em 1999 por meio de programa homônimo. 

No domingo (28), o governo lançou um vídeo voltado às ações no Nordeste, falando sobre o Bolsa Família e exaltando Bolsonaro. Na letra, o nordestino pede “desculpas” por não ter votado no mandatário e o reconhece como um “baita presidente”. Fala ainda em “esquecer o passado”. 

O Nordeste foi a única região do País em que Bolsonaro foi derrotado pelo petista Fernando Haddad nas eleições de 2018. O então candidato pelo PT teve 69,7% dos votos válidos - 20,3 milhões. O mandatário teve 30,3% dos votos - 8,8 milhões. Bolsonaro foi eleito com 57,7 milhões de votos em todo o País. Além do 9 estados nordestinos, o mandatário só perdeu para o adversário no Tocantins e no Pará. 

Na sexta (26), Bolsonaro viajou ao Nordeste para inaugurar um trecho da obra de transposição do São Francisco, como já haviam feito seus antecessores Michel Temer, Dilma Rousseff e Lula. 

Postado na conta do YouTube de Carlos Bolsonaro, que apesar de negar, gerencia indiretamente a comunicação presidencial, e postado pelo presidente em seu perfil no Twitter, o vídeo foi ironizado nas redes sociais pela semelhança de formato com as campanhas publicitárias do PT. O ritmo e as cenas lembram as campanhas petistas coordenadas por João Santana à época dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff.