NOTÍCIAS
14/08/2020 11:54 -03

Bolsonaro tem melhor avaliação desde o início do mandato, segundo Datafolha

Aprovação subiu de 32%, em junho, para 37%, e rejeição caiu 10 pontos percentuais, de 44% para 34%; Melhor desempenho é puxado por grupo alvo de auxílio emergencial.

Handout . / reuters
Bolsonaro durante passagem por São Raimundo Nonato, no Piauí, em 30 de julho. Sua aprovação melhorou no Nordeste.

O presidente Jair Bolsonaro teve seu melhor desempenho nas pesquisas de aprovação realizadas pelo Datafolha desde o início do seu mandato, em janeiro de 2019. Segundo o levantamento divulgado nesta sexta-feira (14), Bolsonaro viu sua reprovação cair 10 pontos percentuais desde o fim de junho, de 44% para 34%.

Com o crescimento da parcela que classifica seu governo como ótimo ou bom subindo de 32% para 37% no mesmo período, a sua aprovação superou pela primeira vez a rejeição, segundo a pesquisa. O grupo que considera o governo regular subiu 4 pontos, de 23% para 27%.

A explicação se dá, em grande parte, por sua melhora entre os trabalhadores informais ou desempregados que têm renda familiar de até três salários mínimos, grupo alvo do auxílio emergencial pago pelo governo desde abril.

De acordo com o diretor-geral do Datafolha, Mauro Paulino, e o diretor de Pesquisas, Alessandro Janoni, dos 5 pontos de crescimento na avaliação positiva, pelo menos três vêm desse grupo – já que ele tem peso maior na composição dos resultados totais da pesquisa.

“A solicitação do auxílio chega a 40% na população como um todo, taxa que alcança 75% entre desempregados que procuram emprego, 71% entre assalariados sem registro e 61% entre autônomos e profissionais liberais, grupos em que são identificadas as maiores variações pró-governo. Entre os que hoje estão sem ocupação, por exemplo, a reprovação caiu 9 pontos e o apoio subiu 12”, destaca a análise de Paulino e Janoni na Folha.

Segundo o instituto, entre os que receberam o auxílio, a taxa dos que consideram Bolsonaro um presidente ótimo ou bom ”é seis pontos superior à observada entre os que não solicitaram o benefício, atingindo 42% —cinco pontos acima da média nacional”.

“O dado pode explicar em parte a melhora de seis pontos na popularidade do presidente no Nordeste, uma das regiões do país onde a população mais pediu e recebeu o benefício”, diz o texto.

No Nordeste, a rejeição a Bolsonaro caiu de 52% para 35% desde junho. Sua aprovação ali ainda é a pior do país, mas subiu 6 pontos nos últimos 2 meses, atingindo 33%.

Bolsonaro continua sendo mais bem avaliado nas regiões Sul e Norte/Centro-Oeste, onde possui 42% de avaliações ”ótimo e bom”. No Sudeste, a aprovação do presidente subiu de 29% para 36%, a a rejeição caiu de 47% para 39% no mesmo período.

A melhora na avaliação também coincide com um período em que Bolsonaro moderou o tom, arrefecendo os ataques diários à imprensa (embora ainda existam, de maneira espaçada) e as brigas com os demais poderes. O presidente também fez uma incursão ao Nordeste, em clima de campanha eleitoral. 

Além disso, o caso Queiroz arrefeceu, com o ex-assessor de Flávio Bolsonaro e sua mulher em prisão domiciliar.

No Facebook, Bolsonaro postou uma imagem da capa da Folha de S. Paulo, de quem é um crítico contumaz, junto com a legenda: “Verdade, meia verdade ou fake news?”. 

O Datafolha entrevistou por telefone 2.065 pessoas nos dias 11 e 12 de agosto. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou menos.