NOTÍCIAS
05/04/2020 17:58 -03

Mortes por covid-19 chegam a 486; são 11.130 casos confirmados no País

Taxa de letalidade aumentou para 4,4%

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Brasil chegou a 11.130, de acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde neste domingo (5). O número de mortes é de 486. A taxa de letalidade é de 4,4%.

Neste sábado (4), eram 10.278 casos confirmados e 432 óbitos. A quantidade de diagnósticos positivos cresceu 8% de sábado para domingo e a de mortes, 13%. São 852 novos casos de um dia para o outro e 54 mortes, no mesmo período.

O maior número de casos atuais está concentrado na região Sudeste — com 6.678 infectados — 60% de todas as contaminações. São Paulo é o estado com mais alto número de registros: conta 4.620 casos e 275 mortes. Rio de Janeiro tem 1.394 diagnósticos positivos e 64 mortes.

Adriano Machado / Reuters
A nurse wears a protective face mask at the North Wing Regional Hospital (HRAN), after reports of the coronavirus in Brasilia, Brazil, March 10, 2020. REUTERS/Adriano Machado

A região Nordeste tem 16,9% das infecções —1.880 casos e 78 mortes. Logo atrás, a região Sul conta 10,9% — 1.231 diagnósticos positivos e 26 mortes. O Centro-Oeste tem 708 casos e o Norte, 651.

Os dados indicam que até o momento Acre e Tocantins ainda não registraram mortes em decorrência do novo coronavírus. Os estados contam com 48 e 17 casos confirmados, respectivamente.

A incidência para o Brasil é de 5,5 por 100 mil habitantes. O indicador varia por unidade da Federação, sendo a mais alta no Distrito Federal (13,2 por 100 mil habitantes).


Até o momento, o Brasil ocupa o 16º lugar no ranking de 18 países e territórios que foram acometidos pela pandemia. O País ocupa o 14º lugar em número de óbitos e é o 8º em taxa de letalidade.

Desde o início da pandemia, foram registradas 28.223 hospitalizações por SRAG (síndrome respiratória aguda grave) no Brasil. Do total com esse quadro sintomático, 2.241 casos (8%) foram confirmados para covid-19. O restante são infecções causadas por outros vírus, como influenza.

São Paulo é o estado mais crítico da federação. 48% das hospitalizações por SRAG no período ocorreram nesta unidade da Federação, sendo que 77% desse total eram casos de covid-19.