OPINIÃO
11/02/2019 15:11 -02 | Atualizado 11/02/2019 15:17 -02

Ricardo Boechat, a voz incansável do Jornalismo por um Brasil melhor

Com uma energia de foca em contraste com seus quase 50 anos de profissão, o jornalista conseguia manter nossos ouvidos atentos.

Divulgação/Instagram
Nos estúdios da BandNews FM, Boechat não parava nem um minuto — seja para comentar, apurar ou falar com os ouvintes.

O jornalismo está em luto. O rádio está em luto. Os ouvintes, leitores, telespectadores. Os jornalistas, colegas de profissão, todos estamos.

Ricardo Boechat era a voz que nos sacudia todo dia no trânsito na ida pro trabalho. Era nosso primeiro contato com a dura realidade logo cedo de manhã. Desmandos de políticos corruptos, a escalada da criminalidade, os péssimos serviços públicos que os governantes nos entregam.

O âncora matinal sempre tinha as palavras adequadas para expressar nosso descontentamento com os problemas do País. Sua análise arguta e comentários ácidos conquistaram milhões de fãs, sobretudo ouvintes.

Boechat chacoalhou o rádio em 2006, quando assumiu o comando dos microfones da BandNews FM. Até então, rádio de notícias estava associada a algo velho, chato, enfadonho.

Com uma energia de foca em contraste com seus quase 50 anos de profissão, o jornalista conseguia manter nossos ouvidos atentos todo o tempo. Inovou em linguagem simplesmente sendo ele próprio. Devolveu ao rádio o que é do rádio: o diálogo, a empatia, a conversa. 

Com ele, manchetes vazias não tinham vez.  Adorava repercutir os comentários dos ouvintes, o que lhe mandavam no WhatsApp, estendia às autoridades as queixas do ouvinte.

Gostava de fazer graça. Irreverente, recebia a gargalhadas José Simão no papo mais divertido do início de nossas manhãs. 

O tom de voz, a maneira de se expressar, a personalidade e, claro, a responsabilidade como jornalista foram a receita para o sucesso desse profissional de imprensa irrepreensível. 

Sobravam críticas à direita, à esquerda, ao governo e à oposição. O compromisso dele era com o interesse público e não com ideologias ou torcidas.

Irrepreensível e inesquecível... Tive a honra de trabalhar com Ricardo Boechat de 2007 a 2009. Na BandNews FM, fez-me rir diversas vezes. E me deu alguns puxões de orelha. Ensinamentos valiosos para uma vida inteira. 

A voz de Boechat vai fazer falta seguramente. O legado dele, porém, está fundado em cada um de seus ouvintes e colegas que aprendemos tanto com ele. É o reflexo da devoção desse gigante do jornalismo à construção de um País melhor.

Galeria de Fotos Ricardo Boechat morre aos 66 anos, em acidente de helicóptero Veja Fotos