COMIDA
03/03/2019 09:44 -03

Ressaca: As bebidas alcoólicas que mais geram efeito indesejável

Se você quer evitar a temida ressaca do dia seguinte da noitada, é melhor deixar o corote e a catuaba.

Nacho Doce / Reuters
A ressaca é o efeito do consumo excessivo de bebida alcoólica.

Quando o assunto é curar ressaca, cada um tem sua fórmula: beba Sprite, coma frutas e alimentos leves, coma comidas gordurosas, beba Coca-Cola... A lista é grande. A dura verdade, porém, é que se você não quer acordar com a cabeça latejando, sentindo náusea, cansaço e com gosto ruim na boca, a melhor alternativa é a prevenção. E as bebidas que você escolhe na noitada anterior são fundamentais para evitar este trágico destino. 

Alguns estudos mostram que as bebidas escuras, como uísque, conhaque, vinho tinto, podem causar mais ressaca que as bebidas mais claras, como vodca e gim. 

Isso porque, ao serem metabolizadas no nosso corpo, elas podem formar o chamado formaldeído, que é uma substância bastante tóxica. Se ingerida em bastante quantidade pode até provocar cegueira e morte. 

Além da intoxicação, existem outros componentes que afetam os níveis da ressaca, como os congêneres — substâncias não-alcoólicas que são produzidas durante a fermentação (como acetona e tanino) —, que mudam as cores e os sabores das bebidas. Assim, os drinks mais claros, como o gim, tem menos congêneres do que os mais escuros, como o uísque.

Isso explica porque bebidas como Catuaba podem dar uma grande ressaca: além de ter vinho na composição, ela é bem “docinha” e nada diurética como a cerveja, o que pode facilmente ser ingerida em grandes quantidades ― agravando, portanto, a intoxicação. 

Também não quer dizer que as bebidas claras blindam a ressaca. Gim e vodca, por serem à base de álcool puro (etanol), formam o acetaldeído ao serem metabolizadas no corpo. Essa substância é responsável pela ressaca: agride as mucosas intestinais, provocam desidratação e pode dar uma baita dor de cabeça.  

A cerveja, apesar de ser mais escura e conter mais substâncias do que as bebidas claras, é uma das bebidas mais brandas, já que possui uma porcentagem menor de álcool e contém mais água na composição, o que ajuda a evitar a desidratação. Mas, se você exagerar na bebida pode, sim, acabar com uma terrível dor de cabeça e acordar com um gosto ruim na boca.

“O grande problema é que o álcool em excesso desidrata e isso agrava ainda mais a ressaca”, conta o médico nutrólogo Durval Ribas Filho, presidente da ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia).

O especialista explica que o álcool é diurético, ou seja, faz você ir mais vezes ao banheiro. Isso acontece porque ele inibe a ação do hormônio ADH, antidiurético que regula o nível da água na corrente sanguínea. Assim, a bebida alcoólica promove desidratação ― o que agrava ainda mais o estado de alguém que está dançando e suando o dia todo, como acontece em festas e Carnaval. “Se as pessoas ao menos alternassem álcool com água, poderiam evitar a ressaca.”

Cuidado com o álcool adulterado

Nacho Doce / Reuters
Álcool adulterado também é vilão na intoxicação do corpo.

Bebidas muito baratas podem ser falsificadas e trazem riscos graves à saúde. O problema destas bebidas é que elas contêm metanol em grande quantidade ― uma substância altamente tóxica para o corpo humano. 

Uma vez ingerido, o metanol é convertido em formaldeído e ácido fórmico, que deixa o sangue ácido (acidose metabólica). Além da embriaguez, outros sintomas comuns são dificuldade de respirar, pressão arterial baixa, tontura, dor de cabeça, náusea, diarreia e até convulsões e cegueira. 

O metanol, utilizado como “substituto” do álcool, pode atacar o nervo óptico e, se tomado em excesso, pode causar cegueira permanente. Foi o que aconteceu com Hanna Powell, jovem de 20 anos, em 2016. Ela ficou cega após tomar um drink batizado durante uma festa na cidade de Zante, na Grécia. 

Hanna foi levada para o hospital no dia seguinte da festa após acordar com muita dor no estômago e sem enxergar nada. Ela estava com falência dos rins, e exames mostraram que ela tinha grandes quantidades de metanol no corpo. 

Como evitar a ressaca, afinal?

Como o álcool é diurético, ele causa desidratação quando consumido em excesso. No dia seguinte, os sintomas de desidratação do corpo são boca seca, dor de cabeça, redução da concentração e irritabilidade.

Ao mesmo tempo, os níveis de açúcar no sangue caem porque o corpo produz muita insulina em resposta à alta concentração de álcool no sangue. Isso contribui também para os sintomas da ressaca, e com o passar dos anos, tudo tende a piorar.

O álcool também irrita o estômago e piora a qualidade do sono, o que causa cansaço e até náuseas no dia seguinte.

Portanto, a melhor maneira de evitar a temida ressaca é se hidratar entre um drink e outro. Tente beber água e nunca consuma álcool de estômago vazio.

Também estabeleça um limite: não misture diferentes bebidas alcoólicas, limite seus drinks ou estipule um horário para deixar de beber - mesmo com todos os macetes já inventados para evitar ressaca, a moderação continua sendo sua melhor aliada no dia seguinte.