ENTRETENIMENTO
15/01/2019 08:20 -02 | Atualizado 15/01/2019 10:11 -02

BBB 2019: Passei 3 horas intensas na casa do Big Brother Brasil

19ª edição do BBB começa nesta terça-feira (15).

TV Globo
Esta foi a minha melhor pose de pessoa que acabou de entrar no BBB.

Goste você ou não, o Big Brother Brasil vai começar. A partir desta terça-feira (15), o reality show mais longevo do País estreia sua 19ª edição com 17 pessoas confinadas numa casa recheada de câmeras e a promessa de expor na TV aberta uma nova remessa de histórias de vidas distintas, romances, barracos e reviravoltas – que anualmente turbinam as conversas dentro e fora das redes sociais.

Antes da estreia oficial, a TV Globo convidou 19 influenciadores digitais e jornalistas, grupo do qual fiz parte, para conhecer as instalações da casa e as novidades da nova edição. A experiência durou cerca de 3 horas: tempo suficiente para ser chamada de memorável. Isso porque o programa faz parte do imaginário dos convidados, e a ideia de experienciar a casa como um verdadeiro “brother” foi abraçada sem hesitação por todos.

Assim que chegamos aos Estúdios Globo, na tarde da última sexta-feira (11), fomos direcionados a uma sala onde celulares, relógios e demais aparelhos eletrônicos foram confiscados. Não eram permitidos vídeos ou fotos dentro da casa. Ali fomos microfonados e recebemos um bloco de anotações, uma caneta e uma mochila idêntica a que os participantes desta edição do BBB receberão. O clima era de nervosismo.

Com a ajuda dos famosos carrinhos elétricos da emissora, fomos levados até a região onde está localizada casa. Ao chegarmos, presenciamos um elaborado sistema de segurança, com profissionais checando as credenciais de todos os presentes. Na entrada de um corredor escuro, fomos recepcionados por Boninho, diretor-geral de gênero da TV Globo, e pelo diretor-geral do reality, Rodrigo Dourado. “Eles não entram com esse crachá no pescoço, né?”, questionou Boninho em voz alta.

Sem crachás, apenas com a mochila recebida minutos antes nas mãos, atravessamos o corredor escuro. Nesse trajeto com cabos, canos e lonas aparentes está uma sala com diversas telas e equipamentos que mostram imagens das câmeras no interior da casa. Foi única cabine de monitoramento e edição que avistei na visita. Em seguida, um a um entrou na casa. Fomos avisados que nossa reação ao ver o interior da residência pela primeira vez seria registrada – assim como tudo o que faríamos posteriormente.

Acabei marcando bobeira e fui o último a entrar. Isso implica dizer que minha reação foi uma das menos entusiasmadas dentro da casa. Mas você não estava empolgado em conhecer as instalações do BBB, Amauri? Claro que estava, mas 18 pessoas já haviam entrado na minha frente e reagido das mais variadas formas. Teve quem pulou, gritou, rodopiou e se ajoelhou sobre a grama. Acho que não fui bom ator na minha vez.

 

Nossos celulares, relógios e demais aparelhos eletrônicos foram confiscados. Não eram permitidos vídeos ou fotos dentro da casa. O clima era de nervosismo

Big Brother entre festas e confessionário

Em poucos segundos dentro da casa, o clima era de festa. Festa de verdade. Garrafas de champagne eram abertas, frutas eram petiscadas e todos circulavam pelos cômodos com reação de espanto ao ver que os equipamentos dispostos nos cômodos eram reais e funcionavam – do fogão aos chuveiros. Minha primeira sensação foi de deslumbre, já que a decoração da casa do BBB 2019 é digamos, excêntrica, com muitos elementos em cores quentes, além do dourado e do prateado.

Não demorou muito para a maioria do grupo pular na piscina e alguém iniciar na cozinha a receita de um brigadeiro com cookies - solução encontrada na ausência de chocolate em pó. O êxtase de estar na casa do BBB havia dominado o ambiente. As pessoas vibravam ao ver a academia, as dezenas de espelhos, a despensa com itens básicos de higiene e alimentação e os banheiros sem qualquer privacidade. E parecia também que, inconscientemente, estavam todos ali testando os limites daquela visita.

Descobrimos o primeiro limite daquela grande brincadeira quando a voz robótica que anuncia as atividades da casa, originalmente do diretor Rodrigo Dourado, anunciou que “os itens da casa deveriam permanecer na casa” minutos depois de um influenciador pegar uma escova de dente e uma lata de atum da despensa e afirmar que levaria embora em sua mochila prateada. Em outra situação, um influenciador resolveu evacuar em um dos banheiros e descobriu o total desconforto de fazer isso embaixo de uma câmera.

TV Globo
19 convidados estiveram na casa do BBB na última sexta-feira (11).

O susto inicial com a voz robótica não foi amenizado quando ela soou por todos os cantos da casa pela segunda vez. A partir dali, cada pessoa era convidada a ir ao confessionário, identificar-se e defender sua permanência na casa. Eu fui o terceiro a entrar na sala com um sofá na vertical e ouvir a voz do apresentador Tiago Leifert. Eu tinha 30 segundos e usei apenas 10 falando que precisava continuar na casa pois aquela era uma experiência única e afirmando que eu era um cara agregador.

Enquanto as pessoas cumpriam a missão do confessionário, a adrenalina das horas iniciais foi baixando. Comecei então a reparar no interior da casa e perceber que ela tem aspecto artificial e que as paredes são de qualquer outra coisa menos alvenaria. Tive também a sensação de que a casa exibida na TV é bem maior que aquela na qual estava. São poucos passos de um quarto ao outro, da cozinha para a sala e da sala para a piscina.

As portas e janelas foram fechadas por persianas automáticas e, na sequência, ouvimos a voz de Boninho anunciando que participaríamos de uma prova – de sorte e não de resistência. Ainda bem. Uma jornalista e um influenciador acabaram fantasiados de lutadores de sumô e travando duelos no quintal da casa – o que gerou boas risadas e algumas reflexões sobre os limites de exposição do programa.

Novidades no BBB 2019

Sem aviso prévio, Tiago Leifert entrou na casa e nos mostrou as novidades das instalações. Uma das principais é o painel eletrônico que mostra aos participantes a quantidade de estalecas (a moeda do BBB) que cada um tem e o nível de água disponível diariamente na casa. O desperdício nesta edição resultará em falta de água para todos os integrantes da casa. 

Ao se despedir de nós, Leifert defendeu a ideia de que os participantes convocados para o BBB não entram no programa por conta de um perfil específico, mas sim porque são pessoas interessantes. Depois disso, nós, os convidados, tiramos algumas fotos de despedida e fomos embora. No trajeto para fora da casa fiquei pensando que, além de interessantes, essas pessoas precisam ser corajosas.

Abrir mão da própria privacidade para conviver com estranhos em condições manipuladas por terceiros e ser observado por milhões de pessoas diariamente pode ser algo divertido, mas que exige muito mais do que o entusiasmo diante de uma novidade.