COMPORTAMENTO
02/08/2019 18:10 -03

Marcelinho Machado: ensinando pelo exemplo

Eterno capitão da Seleção Brasileira, Marcelinho Machado lança projeto social para usar lições do basquete como eixo de transformação social.

Divulgação

Poucos obtiveram tantas vitórias no basquete brasileiro quanto Marcelinho Machado. O legado do eterno camisa 4, tricampeão pan-americano e cinco vezes campeão brasileiro, já seria um ensinamento suficiente para aqueles que sonham em construir uma carreira no esporte. Mas um ídolo sabe que a melhor forma de ensinar dentro e fora de quadra é através do exemplo: foi assim que surgiu o M4 nas Escolas.

Lançado em 2019, o projeto atende a 150 crianças de 8 a 15 anos, em duas escolas públicas da Penha e do Andaraí, no Rio de Janeiro. Com apoio da BV, os alunos têm 40 horas de aulas por mês, com uma equipe profissional e materiais de primeira linha, em espaços reformados para garantir o conforto e a segurança dos atletas.

“A ideia foi surgindo com o tempo. Eu vi bons exemplos de atletas com projetos sociais. Sempre quis retribuir o que o esporte me ensinou e sempre quis proporcionar isso a crianças e adolescentes que, se não fosse por um projeto social, dificilmente teriam acesso à prática de uma modalidade tão legal quanto o basquete, de forma gratuita e organizada”, conta.

Vindo de um esporte coletivo, com passagens vitoriosas pelo Flamengo e pela Seleção Brasileira, ele sabia que precisava de ajuda para que o M4 Nas Escolas decolasse. E foi aí que entrou a BV.

“Não tenho nem palavras para descrever o apoio da BV. Além da parte financeira, que nos dá tranquilidade para criar tudo aquilo que havíamos sonhado dar para essas crianças, toda a expertise que a BV tem por trás está ajudando na formação da nossa metodologia, da nossa capacidade de entender as futuras parcerias. O projeto não seria possível se não fosse pela BV”, elogia.

Divulgação

As vitórias desse time de peso se refletem onde mais importa: no futuro das nossas crianças. Marcelinho conta que, apesar de o projeto ter apenas alguns meses de vida, o impacto já é significativo.

“A maior conquista que eu percebo é a mudança das crianças, ao perceber que eles podem sonhar um pouquinho, que podem sair daquela realidade e pensar um pouco maior. Talvez essa seja a maior conquista do projeto, poder mudar a cabeça dessas pessoas e isso acaba sendo gratificante para todos que estão envolvidos”, comemora.

Com a metodologia de trabalho desenvolvida pelo projeto, que visa um contato próximo com as famílias e a escola, a tendência é que esses benefícios se estendam para outras áreas da vida dos alunos - e que eles mesmos sirvam de exemplo para outras crianças.

Através das aulas, o objetivo é que eles desenvolvam não apenas as competências técnicas do basquete, mas também a socialização, a habilidade de trabalhar em equipe, a capacidade de tomar decisões e que aprendam a conviver com as diferenças - conceitos fundamentais para a transformação social. “Esperamos que os jovens impactados pelo projeto possam ser um fator de multiplicação dos valores ali encontrados. Acho que esse é o grande barato do esporte, você aprender e retribuir”, diz o craque.

Empolgado pelo entusiasmo das crianças, Marcelinho sonha longe. “Queremos solidificar o projeto, talvez com mais uma escola, ou dando ainda mais amparo a estas duas escolas já selecionadas”, revela. “Se formarmos atletas, ok, mas nosso pensamento é muito maior do que isso. Queremos formar pessoas de bom caráter, que possam repetir boas atitudes e, aos poucos, ir mudando a vida ao seu redor.”