COMPORTAMENTO
09/08/2019 16:24 -03

Como o basquete está ajudando a educação no Rio de Janeiro

A iniciativa leva aulas da modalidade a crianças de duas escolas públicas cariocas

A prática de exercícios físicos é fundamental em qualquer época da vida — especialmente durante o desenvolvimento de uma criança ou adolescente. A educação física reduz o risco de doenças no futuro, ajuda na concentração e na melhora do desempenho escolar, além de representar uma possibilidade de carreira para os mais habilidosos. Foi pensando no potencial da união entre esporte, ensino e cidadania que surgiu o projeto M4 Nas Escolas.  

A iniciativa do ex-capitão da Seleção Brasileira de basquete, Marcelinho Machado, conta com o apoio da BV para levar aulas da modalidade a crianças de duas escolas públicas cariocas: uma na Penha e outra no Andaraí.

Por lá, meninos e meninas de 8 a 15 anos aprendem a fazer suas primeiras cestas com a ajuda de equipes multidisciplinares, materiais de ótima qualidade e, claro, o exemplo vencedor de Marcelinho. Além disso, são organizados passeios culturais, rodas de conversa com psicólogos e atividades extracurriculares como complemento da formação esportiva e educacional. O resultado desse esforço tem se materializado muito além das quadras, como conta o coordenador do M4 Nas Escolas, Luís André Costa.

“Temos relatos de professores e coordenadores sobre alunos que tiveram uma imensa melhora no comportamento. As escolas nos mostraram os boletins e isso nos enche de orgulho. Tivemos também uma reunião com os pais para mostrar as atividades feitas no primeiro semestre e obtivemos um retorno muito positivo. Isso mostra que estamos no caminho certo”, disse.

O grande trunfo do M4 Nas Escolas é a abordagem multidisciplinar. Luís explica que uma das maiores preocupações de sua equipe foi criar um canal de diálogo permanente com os educadores das escolas atendidas e, assim, descobrir a melhor maneira para colaborar no desenvolvimento pessoal de cada aluno. Segundo ele, é graças a esse contato que o projeto conquistou a confiança da equipe de docentes, além de pais e crianças, em apenas cinco meses em atividade.  

Outro ponto fundamental para o sucesso do programa é, segundo ele, a parceria com a BV. “O sucesso do projeto está muito ligado à parceria com a BV. Com ela, mantemos uma excelente equipe de profissionais, oferecendo aos alunos uma qualidade superior de ensino. Todo esse time é fruto do investimento, bem como as reformas e adaptações feitas nas instalações das escolas”, relata.

Marcelinho, o grande idealizador desse vetor de transformação social, acredita que os impactos na vida das crianças fazem com que toda a dedicação valha a pena. “A maior conquista do projeto até agora é a mudança das crianças e adolescentes, que percebem que eles podem sonhar. Só quem está no dia a dia sabe o que significa poder tocar a vida de todas essas crianças e adolescentes”, celebra.

Como professor, Luís também se emociona ao ver essas conquistas. “É notório como já conseguimos mudar a rotina das escolas, como estamos transformando vidas, aproximando pessoas, sabendo lidar com diferenças e entendendo limites, deixando que esses meninos e meninas possam sonhar. Há seis meses, isso não seria possível. Nada é mais gratificante do que, ao término de uma aula, ver um aluno agradecer, ao lado de seu responsável, pela melhora no comportamento e nas notas na sala de aula”.

Divulgação