ENTRETENIMENTO
21/08/2019 11:24 -03 | Atualizado 21/08/2019 14:57 -03

Sonia Braga: 'Se não encontrarmos um caminho rápido, o mundo acaba em 10 anos'

Em encontro com a imprensa para falar sobre "Bacurau", atriz ressaltou o papel do filme de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles em discutir as necessidades do Brasil.

Por mais que os diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles digam que não quiseram passar nenhuma mensagem com seu novo filme, o aguardado Bacurau(que estreia nos cinemas no dia 29 de agosto), a veterana atriz Sonia Braga falou sobre o papel político da produção em coletiva que que teve participação da dupla de cineastas, da produtora executiva Emilie Lesclaux e de parte do elenco.

Bacurau é um filme que se passa no futuro e a minha esperança é que esse filme traga uma revisão. Que as pessoas assistam esse filme e se coloquem no ponto de rever tudo isso. Rever o Brasil, as nossas necessidades”, disse a atriz. “Porque, no fundo, todo mundo quer a mesma coisa. De verdade. Quem é que não quer que uma pessoa não coma três vezes ao dia, que vá à escola, que tenha cultura? Todo mundo quer isso”, explicou.

Bem humorada e falante durante toda a coletiva, Sonia Braga mostrou que vê em Bacurau muito mais que um filme de aventura com “observações”, como Kleber Mendonça Filho descreveu a produção.  

“Bacurau vem para abrir uma discussão. Para que a gente volte a conversar e que a gente realmente encontre um caminho. E rápido. Porque se nós não encontrarmos um caminho bem rápido, o mundo acaba em 10 anos”, alertou a atriz. “Eu falo por mim, mas por muitas pessoas aqui. Ter esperança e verdade são as coisas mais importantes neste momento”, acrescentou.

 

Em outra oportunidade, a atriz falou com orgulho sobre a comunidade de Barra, no Rio Grande do Norte, onde Bacurau foi filmado. Ela contou que mantém contato com a população local e comemorou o fato da estrada para o vilarejo ter sido, finalmente, pavimentada. “Eu não queria só estar lá. Não queria só fazer um filme”, contou.

Nesse ponto, a atriz interrompeu sua fala e fez um sinal para Lesclaux perguntando se podia falar algo ainda sigiloso. Foi quando a produtora francesa confirmou que depois das pré-estreias de Bacurau em São Paulo, o filme seria exibido em Barra. 

″É muito importante para mim ficar amiga das pessoas dos lugares para onde vamos. Mais do que isso ainda, é o filme ir para Cannes, Gramado, São Paulo e voltar para Barra. Todas as pessoas que participaram desse filme, participaram mesmo”, completou Sônia Braga.

Falando sobre o período das filmagens, a atriz lembrou de dois momentos marcantes. “Queria me entender muito lá, fazendo esse filme, fazendo [a personagem] Domingas. Compreendi muita coisa. E entender também, através desse trabalho, esse Brasil profundo.” 

“Quando estávamos filmando, aconteceu aquele atentado à comitiva do Lula e o assassinato da Marielle. Disse em Gramado e reafirmo, dediquei Domingas, a minha personagem, à Marielle [Franco, vereadora carioca assassinada em março de 2018] e quero saber: quem mandou matar Marielle?”, concluiu.