ENTRETENIMENTO
04/08/2020 01:00 -03 | Atualizado 04/08/2020 10:10 -03

Babe, 25 anos: 7 coisas que você (provavelmente) não sabia sobre o filme

Produção australiana que concorreu a 7 estatuetas do Oscar, "Babe, o Porquinho Atrapalhado" foi lançado no dia 4 de agosto de 1995.

No final de 1995, ninguém imaginaria que uma pequena produção australiana baseada em um livro infantil inglês sobre um porquinho que sonhava em ser pastor se tornaria um dos maiores hits daquele ano. Babe, o Porquinho Atrapalhado, que completa 25 anos nesta terça-feira (4), quase atingiu o Top 10 das maiores bilheterias do mundo em 95, lucrando incríveis U$ 234 milhões e ficando no 11° lugar do ranking.

Mas o fofo leitãozinho falante ainda tinha mais algumas surpresas guardadas na manga. E no ano seguinte concorreu a 7 estatuetas do Oscar, incluindo os de Melhor Filme, Direção (para Chris Noonan) e Ator Coadjuvante (James Cromwell), e conquistando o de Melhores Efeitos Especais.

Divulgação
O ator James Cromwell como o Sr. Hoggett e uma das 48 porquinhas que "interpretaram" Babe.

A trama conta a história de Babe (voz de Christine Cavanaugh), um porquinho da fazenda do Sr. Hoggett (James Cromwell), que pensa que é um cachorro e sonha em ser pastor, mas que, ao contrário dos outros cachorros, que usam a intimidação para controlar as ovelhas, ele prefere ser simplesmente educado com elas. Impressionado com a performance de Babe no trato das ovelhas, o fazendeiro resolve inscrevê-lo no Campeonato Nacional de Cães Pastores. 

Muito mais importante que números e prêmios, Babe vem conquistando, desde os anos 1990, o coração de crianças e adultos, se transformando naqueles filmes queridos por todo mundo. Uma Sessão da Tarde perfeita que mistura humor (às vezes nem tão infantil assim) e momentos emocionantes com muito carinho e sensibilidade. 

E lá se vão 25 anos... 

Para comemorar a data, selecionamos 7 coisas curiosas de Babe, o Porquinho Atrapalhado que você (provavelmente) não sabia: 

1 - Mad Max e um porquinho atrapalhado

Um dos filmes mais fofinhos das últimas décadas, Babe tem a assinatura de George Miller, o mesmo cineasta por trás da franquia ultraviolenta Mad Max.

Miller é produtor/co-roteirista e a força motriz por trás do sucesso de Babe. Aliás, foi por conta de seu carinho pelo projeto - e seu já reconhecido preciosismo - que o filme demorou anos para sair do papel. Além de esperar que a tecnologia alcance sua visão sobre a história na tela, Miller chegou até a rejeitar uma trilha sonora de Jerry Goldsmith, um dos compositores mais respeitados da história do cinema, porque ela não correspondeu às suas expectativas.

A coisa deu tão certo que Miller fez uma continuação, Babe, o Porquinho Atrapalhado na Cidade (1998), que caiu mais no gosto da crítica que do público, e emplacou outro sucesso infantil em 2006:  Happy Feet - O Pingüim, que além de escrever o roteiro, ele próprio dirigiu. E olha que ele também fez Happy Feet 2 4 anos antes de voltar ao universo de Mad Max no premiadíssimo Estrada da Fúria (2015).

2 - Quem disse que a classe econômica não tem suas vantagens?

Normalmente, as pessoas têm experiências negativas em relação a pessoas que se sentam do seu lado na classe econômica de um voo lotado, mas esse não foi o caso de George Miller. Ele se interessou pela história do Porquinho Atrapalhado quando uma mulher sentada ao seu lado em um longo voo entre Sydney e Londres não parava de dar risada. 

Curioso para saber o motivo de tanta alegria, Miller viu que a mulher estava lendo o livro Um Porquinho Chamado Babe, do escritor inglês Dick King-Smith. Ao desembarcar na capital inglesa, ele foi direto para uma livraria comprar o livro e assim que terminou a leitura, entrou em contato com o autor para comprar os direitos da história para o cinema.

3 - James Cromwell não estava lá muito animado

James Cromwell, então com 55 anos, não era um ator tão conhecido. Seu papel mais famoso até interpretar o fazendeiro Hoggett era o do Sr. Mr. Skolnick da franquia A Vingança dos Nerds. Mesmo assim, ele disse em uma entrevista à revista Vegetarian Times (é isso mesmo que você leu!) que não estava muito empolgado com o papel. Além de ter achado a história “boba”, seu personagem tinha apenas 16 falas no filme todo.

Mas foi exatamente com esse papel que ele recebeu sua primeira indicação ao Oscar. Ele acabou perdendo para Kevin Spacey (Os Suspeitos) como Melhor Ator Coadjuvante, mas a partir daí sua carreira deslanchou, se transformando em um habitual vilão em muitas produções de Hollywood.

Mas não foi só na carreira que Babe marcou a vida de Cromwell. Ele já era vegetariano antes de participar do filme, porém, depois de conviver com tantos bichinhos nas filmagens, o ator resolveu se tornar vegano.

4 - Babe é interpretado por 48 porquinhos diferentes e um robô

Como os porcos crescem muito rápido, a equipe do filme teve de utilizar muitos porquinhos durante as filmagens. Quarenta e oito, para ser mais exato. Mas, na verdade, todas eram porquinhas, já que mesmo que Babe fosse macho na história, eles não queriam mostrar o pipi do bichinho. 

Mesmo com toda essa variedade de leitões à disposição, também houve necessidade de utilizar um porquinho robô - construído pela equipe do lendário Jim Henson (criador dos Muppets) - para as cenas mais abertas e de longa distância, pois o treinador de animais Karl Lewis Miller (que tem filmes como Cujo e da franquia Beethoven no currículo), não poderia ficar perto de um bichinho de verdade nesse tipo de tomada.

5 - Um verdadeiro exército de bichinhos

Pelo menos 500 animais aparecem no filme, mas segundo disse Karl Miller em uma entrevista à Entertainment Weekly, ele e sua equipe de 59 pessoas, tiveram de treinar 970 bichinhos, entre porcos, cães, gatos, ovelhas, vacas, cavalos, cabras, patos, ratos e pombos. 

 6 - Babe tem “irmãos” famosos

O porquinho Babe tem algo em comum com duas das animações mais famosas dos anos 1990: O Laboratório de Dexter e Rugrats: Os Anjinhos. O link entre as três produções é a atriz Christine Cavanaugh. A voz de Babe na versão original, em inglês, também dublou os personagens Dexter e o bebê Chuckie Finster. 

7 - O filme foi banido na Malásia

Com receio de causar problemas com sua população majoritariamente muçulmana, religião que considera os porcos animais impuros, o governo da Malásia proibiu a exibição de Babe, o Porquinho Atrapalhado no país. Um exagero, já que por conta do sucesso em todo o mundo, o filme acabou sendo lançado em VHS e se tornou um hit das locadoras.

*Babe, o Porquinho Atrapalhado está disponível no catálogo do Telecine Play. E para aluguel no Looke, Google Play e Apple TV.