NOTÍCIAS
14/03/2019 18:34 -03

Polícia pede apreensão de jovem por possível envolvimento em ataque a escola de Suzano

Terceiro jovem seria colega de classe de um dos atiradores e teria ajudado na elaboração do massacre.

MIGUEL SCHINCARIOL via Getty Images

A polícia civil investiga a participação de um terceiro jovem no planejamento do atentado à escola Raul Brasil em Suzano (SP), que deixou 10 mortos e 10 feridos na última quarta-feira (13).

O delegado-geral, Ruy Ferraz Fontes, pediu a apreensão de um jovem de 17 anos nesta quinta-feira (14). 

“A terceira pessoa é um adolescente, a apreensão dele já foi sugerida ao juiz da infância e da juventude e o material relacionado com a participação dele já está arrecadado”, afirmou o delegado em entrevista coletiva.

De acordo com Fontes, o terceiro jovem seria colega de classe de Guilherme Taucci Monteiro, 17 anos, um dos autores do ataque. Ele teria ajudado Guilherme e Luiz Henrique de Castro, 25 anos, na elaboração do crime. 

“Estamos aguardando a manifestação da Justiça. Pode ser a qualquer momento”, explica o delegado.

Ainda não há conclusões sobre a motivação do crime. Segundo o delegado, o massacre foi realizado em busca de reconhecimento e foi inspirado no atentado de Columbine, que ocorreu nos Estados Unidos em 1998.

Galeria de Fotos Massacre em escola de Suzano (SP) deixa 10 mortos Veja Fotos

“Esse foi o principal objetivo, não tinha outro”, diz delegado. “Não se sentiam reconhecidos, queriam demonstrar que podiam agir como em Columbine, com crueldade”, completou.

 

Ele explica que episódios de bullying foram citados em apenas uma parte da investigação e “não eram significativos”.

Os dois ex-alunos invadiram o colégio e atiraram contra estudantes e funcionários deixando 8 mortos. Os atiradores se mataram na sequência.

Os corpos dos estudantes Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos, Caio Oliveira, 15 anos, Samuel Melquiades Silva de Oliveira, 16 anos, e Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos, além da inspetora de ensino Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos, e da coordenadora-pedagógica, Marilena Ferreira Umezu, 59 anos, foram velados no ginásio da cidade de Suzano no início desta quinta.