COMPORTAMENTO
09/05/2019 08:26 -03

O que 'Thank U, Next' pode nos ensinar sobre o fim dos relacionamentos

Hit de Ariana Grande é um tipo novo de música sobre términos – e está claramente encontrando eco entre os millennials.

Kevin Mazur via Getty Images

Podemos dar crédito a Ariana Grande por muitas coisas neste mundo: 5 álbuns de estúdio adorados pelos Arianators, o ressurgimento do rabo de cavalo, lamber donuts, converter Pete Davidson em uma pessoa sobre a qual falamos.

E agora podemos acrescentar à lista uma nova tendência de relacionamento: o “Grande-ing”. Inspirado pela letra do hit Thank U, Next, Grande-ing significa levar o fim de um relacionamento tranquilamente, aprender com tudo que você viveu com seu ex e seguir adiante, consciente de que você vai ficar bem sozinho.

Na canção, Ariana menciona o nome de cada um de seus ex e distribui frases sobre cada um deles com a mesma tranquilidade de alguém que está revendo sua lista de supermercado: “Pensei que eu acabaria ficando com Sean/Mas não deu certo com ele/Escrevi algumas canções sobre Ricky/Agora ouço e dou risada”, ela canta.

Ela também agradece a Pete Davidson e ao falecido Mac Miller, “porque ele era um anjo”, antes de anunciar sua tese pós-separação: “Um me ensinou o amor, um me ensinou paciência e um me ensinou a dor, e agora sou tão incrível. Já amei e já perdi, mas não é isso que eu enxergo. Então vejam o que consegui, vejam o que vocês me ensinaram.”

A mensagem está a mundos de distância de canções dolorosas sobre rompimentos como You Oughta Know, de Alanis Morissette. Ela não contém nada do clima de desespero de uma canção como Nothing Compares 2 U, de Sinead O’Connor. (Não nos entenda mal – a gente também ama essas canções.)

É um tipo novo de canção sobre o fim de um relacionamento – e está claramente encontrando eco entre os ouvintes da geração millennial.

Numa pesquisa conduzida em dezembro passado pelo aplicativo de namoro Plenty of Fish, 50% dos solteiros disseram que fazem questão de seguir o exemplo de Ariana e se desfazer de qualquer negatividade em relação a seus exs.

Jeff Kravitz via Getty Images
Pete Davidson e Ariana Grande no MTV Video Music Awards 2018, em agosto passado, alguns meses antes de sua separação. 

Embora trabalhe principalmente com millenials mais velhos, a terapeuta Sara Ouimette, de Oakland, Califórnia, atende muitos clientes que querem preservar as recordações de tempos mais felizes com seus ex e aprender com os tempos mais sofridos. Geralmente eles querem aprender para que possam iniciar seu próximo relacionamento com uma visão mais inteligente de como amar alguém.

“As pessoas desejam relacionamentos que durem. A terapia é uma oportunidade para refletirem sobre relacionamentos sérios que não deram certo”, ela disse ao HuffPost. “Quando isso acontece, é hora de dar uma olhada mais de perto para o que pode estar acontecendo. Sentimos atração por qual tipo de pessoa, e por quê? Quais são nossas feridas? Como podemos explicá-las à outra pessoa de maneira gentil e clara? Somos perseguidores ou distanciadores em nossos relacionamentos?”

Para Ouimette, há muito o que destrinchar após uma separação, mas quanto melhor nós nos conhecemos e conseguimos nos comunicar, mais bem-sucedidos serão nossos relacionamentos futuros.

O Grande-ing se encaixa bem com outra tendência cultural na psicologia dos relacionamentos: a separação consciente, algo que Gwyneth Paltrow introduziu em nosso vocabulário permanente quando se separou de Chris Martin, vocalista do Coldplay.

A ideia por trás da separação consciente, um termo cunhado pela terapeuta conjugal e familiar Katherine Woodward Thomas, é que o casamento ou um relacionamento de longo prazo não precisa terminar em um clima de má vontade. Essa abordagem à separação sem drama, sem um culpar o outro, beneficia especialmente os casais com filhos.

A educadora sexual Amy Baldwin, co-apresentadora do podcast “Shameless Sex”, está no momento no processo de separar-se conscientemente de seu ex e acha a ideia do Grande-ing igualmente estimulante.

Quando Baldwin e seu namorado decidiram se separar, depois de passar 5 anos juntos, fizeram isso com a intenção de respeitar tudo o que haviam vivido juntos.

“Nós nos sentamos para discutir o futuro e os parâmetros de como continuaríamos presentes na vida um do outro”, ela afirma. “E nos comprometemos a fazer escolhas que levem adiante o respeito e o amor que temos um pelo outro. Em certo sentido, continuamos a ser companheiros, porque ainda estamos nos esforçando juntos para fazer esta separação acontecer com amor.”

A única maneira de ter esse resultado positivo é aprender com seus erros e fracassos e fazer diferente no futuro. Seus ex-namorados podem realmente ter um papel positivo em seu autodesenvolvimento e sua habilidade de se relacionar com um parceiro.Julia Bekker, casamenteira e coach de relacionamentos

Os dois também compartilhavam a vontade de continuar presentes um na vida do outro. (A própria Ariana Grande ainda é muito amiga de vários de seus ex-namorados, incluindo dois que ela cita em Thank U, Next, Big Sean e Ricky Alvarez.)

“Nosso título mudou e todas as expectativas que tínhamos quanto ao nosso relacionamento voaram para longe”, escreveu Baldwin. “De repente, finalmente conseguimos enxergar um ao outro como o ser humano e amigo querido que sempre esteve ali.”

O Grande-ing é ótimo, mas Baldwin aconselha os ex-namorados a não correr para essa etapa de uma separação e não deixar de trabalhar as partes mais difíceis desse processo.

“Você não deve ignorar seu sofrimento”, ela disse. “Você precisa sentir todas as emoções que acompanham a separação. Tristeza, raiva, medo – essas emoções estão ali por um motivo. O segredo é deixar o ar percorrer todas as emoções, deixando-as mais leves, e só então olhar em retrospectiva para o que vocês viveram e perguntar a si mesma: ‘o que eu aprendi com isso?’.”

E, é claro, você pode até se colocar essa pergunta sem ser “tão tremendamente grata a seu ex” quanto Ariana.

“Fique grata por não estar mais passando tempo com uma pessoa que não é a pessoa certa para você. Assim você vai mais para frente poder se concentrar em procurar alguém que seja essa pessoa certa”, recomendou Julia Bekker, promotora de casamentos e coach de relacionamentos, de Nova York.

“Se você nunca aprender, sempre se verá repetindo os mesmos padrões, e se você não aplicar o que aprendeu, não terá um resultado positivo”, ela disse. “A única maneira de ter esse resultado positivo é aprender com seus erros e fracassos e fazer diferente no futuro. Seus ex-namorados podem realmente ter um papel positivo em seu autodesenvolvimento e sua habilidade de se relacionar com um parceiro.”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.