COMPORTAMENTO
01/03/2019 08:08 -03 | Atualizado 01/03/2019 13:17 -03

Por que devo começar a pensar na minha aposentadoria aos 20 anos

Um guia para você que ainda nem tem tanto dinheiro, mas já quer começar a investir.

Em um momento em que o tema da reforma da Previdência foi parar até na conversa de bar, é praticamente impossível não começar a pensar como vai ser para você quando chegar lá - mesmo que ainda esteja com seus 20 e poucos anos. 

Segundo o Datafolha, os brasileiros que têm hoje entre 16 e 24 anos esperam se aposentar aos 59 anos, em média. Pelas regras atuais, homens podem se aposentar com 35 anos de contribuição e mulheres, com 30. No projeto proposto até então pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), contudo, não haverá mais a opção de aposentadoria por tempo de contribuição, apenas por idade mínima: 62 anos para as mulheres e 65 para os homens.

Segundo especialistas, sobretudo neste momento de transição, é essencial começar a planejar financeiramente a sua aposentadoria desde cedo.

Para Carolina Sandler, jornalista, especialista em educação financeira e idealizadora do site Finanças Femininas, a reforma da previdência ”é inevitável e o que já era ruim vai ficar pior”.

“A população brasileira precisa entender que ela vai necessitar de um controle para montar o seu próprio plano de previdência se quiser se aposentar com alguma dignidade e um mínimo de tranquilidade”, explicou Sandler ao HuffPost Brasil.

Mas como começar a poupar? A consultora em finanças auxiliou o HuffPost Brasil nesse guia para você que nem tem tanto dinheiro assim, mas já quer começar a investir e sonhar com a aposentadoria numa ilha deserta.

Por que devo começar a pensar na aposentadoria aos 20 e poucos anos? 

 

A hora certa para começar a se preocupar com a aposentadoria é o momento em que você teve essa preocupação, esse estalo. 

Com a reforma da Previdência, a população brasileira vai precisar de um controle para montar o seu próprio plano de aposentadoria se quiser fazê-lo com alguma dignidade e um mínimo de tranquilidade.

E a verdade é que, quanto mais cedo você começa, mais fácil é poupar: Menor é o esforço poupador, você vai conseguir juntar mais dinheiro - enfim, tudo melhora. 

Geralmente, os jovens ainda moram com os pais, têm poucas contas para pagar e, por estarem em uma situação confortável, acham que podem gastar todo o dinheiro que ganham.

Só que lembre-se: Guardar uma parte do que você ganha é muito mais fácil quando você tem menos contas a pagar.

Além disso, se você se acostuma a gastar 80% da sua renda com superficialidades, o que vai acontecer quando você sair da casa dos seus pais e surgirem outras demandas para o seu dinheiro?

A situação geralmente fica insustentável, porque você está acostumado com um padrão de gastos que não é realista. Começar a guardar dinheiro quando se é jovem é mais fácil e é ainda mais importante. 

 

Mas como começar a poupar?

A primeira coisa que você precisa prestar atenção é a forma como você gasta o seu dinheiro. Senão, você vai entrar em um ciclo vicioso de que, quanto mais dinheiro você ganhar, mais você gasta.

O primeiro ponto para isso é entender que você precisa de um controle financeiro. Mas isso não é tão doloroso quanto possa parecer. As pessoas acham que para ser bom com dinheiro você precisa ser bom em matemática ou entender de planilha. Não é isso.  

Para você ser bom com o seu dinheiro você tem que olhar para os seus comportamentos, o que você prioriza, o que você está disposto a abrir mão, o quanto você sabe esperar e não ficar cedendo a todos os impulsos. Está muito mais relacionado a isso do que a planilhas.

 

O quanto eu devo poupar por mês pensando na minha aposentadoria?

Eu gosto do método 50/30/20. É um método para você ter um equilíbrio dos seus gastos de forma real. De tudo o que ganhar, você deve separar 50% para os seus gastos essenciais (moradia, alimentação, transporte e tudo o que você realmente não vive sem - aí entra o bom senso de saber priorizar); 30% será destinado aos supérfluos (compras, lazer, presentes) e 20% você vai guardar todo mês para construir uma reserva.

Para quem nunca guardou nada, isso pode parecer difícil. Nossa, como vou guardar 20% do meu salário da noite para o dia? Pois é, por isso é importante começar a guardar aos poucos. Comece guardando 5%, suba para 10% e coloque uma meta que, em 6 meses, você vai guardar 20% do que você ganha. Vá com gentileza com você para garantir que você vai olhar para essa meta como algo a longo prazo, e não algo imediato.

Seguir um orçamento é de grande importância. A gente se acostuma a gastar. O que antes era luxo, em pouco tempo vira necessidade e a gente não consegue medir se não estamos controlando nossos gastos.

Não dá para acompanhar de cabeça todos os seus gastos. A única forma de saber o quanto você gasta e segurar isso, é tendo um controle. E aí você precisa ir nos detalhes.

Pode usar aplicativos, criar planilhas, guardar os recibos dos gastos no cartão, registrar suas compras por meio de avisos SMS. Veja o que funciona para você e mantenha esse método. Não perca o controle. A única forma de você fazer um planejamento financeiro para realizar os seus sonhos é fazendo um diagnóstico de como você gasta o seu dinheiro.

 

É ruim eu deixar o meu dinheiro na poupança?

A poupança tem um objetivo específico. Ela funciona para investimentos de curto prazo. Você coloca ali um dinheiro que pode ser o seu fundo de emergência, que você pode precisar dele a qualquer momento. Hoje, a poupança te dá um retorno acima da inflação, você não tem taxas, saca o dinheiro na hora que precisa e está fazendo um investimento, que é sempre melhor do que deixar o dinheiro na conta corrente. Mas se você está falando de investimento a longo prazo, aí realmente compensa muito mais você abrir uma conta na corretora e buscar investimentos que te darão um retorno maior. 

 

Como saber quais são os melhores tipos de aplicação para o meu dinheiro?

Quando você procurar uma corretora, ela vai te fazer um questionário de perfil para entender quais são os investimentos mais adequados para você. Para entender o seu perfil, você tem que entender o quanto de risco você está disposto a tomar para conseguir aumentar o seu retorno.

A gente tem uma visão no Brasil muito debilitada de risco. Temos um histórico de confisco de poupança e criamos uma cultura de que investir é algo perigoso, então é melhor você deixar o seu dinheiro na “segurança”.

Ao fazer o questionário das corretoras, você vai poder entender melhor qual o seu perfil de risco e vai ter um consultor financeiro para te orientar. 

Mas, de forma geral, o plano de previdência privada, investimentos no tesouro direto e alguns investimentos em bolsa, olhando ao longo prazo, são ferramentas bacanas para você construir um patrimônio ao longo do tempo.

 

Quais são as outras opções para a previdência, que não o INSS?

O retorno do INSS é muito pior do que qualquer outro investimento. Não dependa só do INSS.

A forma mais simples de você planejar a sua aposentadoria é você pesquisar sobre um plano de previdência privada. Veja, por exemplo, se a empresa onde você trabalha tem algum tipo de plano. Muitas vezes a própria empresa tem um programa em que você contribui com um valor e a empresa coloca um outro valor. Esse é um grande benefício que as pessoas não ficam atentas. Se a sua empresa não oferece nenhum benefício, montar um plano de previdência privada não é impossível. 

 

É melhor eu procurar uma previdência privada ou colocar o meu dinheiro com uma corretora?

A previdência privada vale a pena. A gente tem uma visão de que a previdência são fundos super básicos e que, na corretora, você tem o potencial de ter um retorno muito maior. Isso não é tão verdade. A gente já tem fundos de previdência com retornos excelentes, por exemplo, melhores que o do Tesouro Direto. Tudo depende do perfil de risco que você tem e de onde o seu fundo de previdência vai investir. Quando você escolhe um fundo de previdência, você escolhe um gestor que vai selecionar esses investimentos para você. Se você está em um fundo que tem um perfil mais arrojado, você tem um potencial de ganho maior. 

Mas diversificar os investimentos é importante porque você pode correr um pouquinho mais de risco em alguns dos seus investimentos, já que a grande parte esta em investimentos mais estáveis. Com isso, você aumenta o seu retorno potencial. 

 

Quanto tempo de contribuição eu tenho que ter até ter o retorno do meu investimento?

Quando você faz um investimento, se você não ficar sacando o dinheiro mês a mês, você começa a ganhar o que a gente chama de juros compostos. Ou seja, você ganha não só os juros daquele R$100 que você aplicou, mas os juros sobre os rendimentos dos meses anteriores.

Então, a curva de seus investimentos não é algo linear. Conforme o tempo passa, mais rendimento você tem para os juros compostos agirem e a curva vai acelerando. Ou seja, quanto mais tempo você deixa o seu dinheiro investido, maior o efeito do juro composto e aí você consegue ter uma construção de patrimônio importante. Por isso que é muito mais fácil você começar a planejar a sua aposentadoria aos 20 do que aos 50 anos. 

 

Eu vou ficar rico se eu começar a investir?

É uma coisa simplista você achar que o seu dinheiro vai trabalhar para você. Para alguém viver de renda, é preciso ter um patrimônio gigantesco. Mas isso não quer dizer que o seu rendimento que fica acumulando ao longo do tempo será irrisório. A ideia é chegar lá na frente e ter a tranquilidade de ter se planejado.

O perigo do mindset investidor é achar que você precisa investir com grande risco e que, com o investimento, você vai ficar milionário. Não é isso. Os investimentos são ferramentas para te ajudar a construir e acumular um patrimônio. Para enriquecer, você precisa trabalhar. 

O maior investimento que você pode fazer é na sua carreira e na sua educação porque você aumenta o seu potencial de ganho salarial. E quanto mais você ganhar, mais você consegue guardar e investir. Achar que o mercado financeiro é a solução para as suas responsabilidades é um erro.

 

Eu preciso ser rico para começar a investir?

Planejamento financeiro é importante para quem ganha 1 ou 100 salários mínimos. Dinheiro é algo difícil de conquistar. É literalmente o seu trabalho e o seu suor que estão ali. Você ter um planejamento financeiro é o que te permite tratar bem aquilo que foi tão difícil de conquistar. Ter esse cuidado, conseguir guardar um pouco que seja todo mês, é o que vai te permitir ter mais escolhas lá na frente.

No início parece ser difícil, porque você vai precisar abrir mão de coisas que você gosta para poder poupar e talvez você não enxergue os ganhos imediatos daquilo. Mas a longo prazo, os ganhos são enormes. Você vai ter mais segurança para escolher os caminhos da sua vida.

Falar de dinheiro não é tabu, não é ficar falando de taxa ou de matemática. É você entender quais são seus sonhos, suas prioridades, seus planos. Comprar uma casa? Viajar? Pós graduação? Carro? Qual é a sua vontade? Investimento é algo muito poderoso, é o que vai nos permitir realizar nossos sonhos.

Não dá para ter tudo, mas dá para ter tudo o que você realmente quer. O primeiro passo é começar, focar naquilo que você almeja e ir aos poucos.