MULHERES
24/06/2019 06:48 -03

Usar apps de ciclo menstrual seria uma forma eficiente de contraceptivo?

Especialistas comparam os aplicativos de acompanhamento da ovulação e da fertilidade com outros métodos tradicionais.

Anastasiia_M via Getty Images

A Food and Drug Administration, órgão do governo americano que regulamenta alimentos e remédios, aprovou o app Natural Cycles como “método contraceptivo para evitar gravidez”.

Trata-se do primeiro app do tipo a receber o selo de aprovação da agência. O software ajuda mulheres a acompanhar o ciclo menstrual e usa a temperatura do corpo para prever os dias de ovulação, de modo ajudar no planejamento da gravidez ou na contracepção.

Esse método baseado em algoritmos e livre do hormônios pode parecer ideal, mas tem muitas outras coisas a saber antes de decidir se essa é a solução certa para você.

Acompanhamento da fertilidade – ou seja, saber quando você está ovulando e, portanto, tem maiores chances de engravidar – é um método que existe muito antes do surgimento de apps como o Natural Cycles. Existem três métodos principais para as mulheres acompanharem sua fertilidade, explica Samantha Schon, do departamento de obstetrícia, ginecologia e endocrinologia reprodutiva da Michigan Medicine. 

O primeiro deles é observar a duração do ciclo. “O ciclo menstrual é dividido em duas partes, a fase folicular e a fase lútea”, afirma Schon. “A fase lútea acontece depois da ovulação e é relativamente constante para a maioria das mulheres – dura cerca de 14 dias. Então, num ciclo de 28 dias, a ovulação ocorre por volta do 14º dia. Em um ciclo de 30 dias, ela ocorreria por volta do 16º dia.” Esse método funciona melhor se você for regular (sabe que vai menstruar a cada 28, 32 dias e assim por diante).

A segunda maneira de acompanhar a fertilidade é olhar para o muco cervical. “O estrogênio aumenta conforme a ovulação se aproxima, e o muco cervical muda de aparência e textura”, afirma Schon. Trata-se do muco que liberado pela vagina e que parece “clara de ovo”, diz Schon.

Você pode acompanhar o muco diariamente para determinar quando é seguro transar, ou então usar o método dos “dois dias”, segundo a Planned Parenthood. Esse envolve responder duas perguntas: “Tenho muco cervical hoje?” e “Tive muco cervical ontem?” Se a resposta para ambas as pergunta for “não”, é pouco provável que você vá engravidar. Observação: isso significa apenas cerca de 12 dias “seguros” por ciclo.

O outro método é a temperatura corporal basal, método usado pelo app Natural Cycles. Tipicamente, a temperatura do corpo da mulher logo antes da menstruação fica entre 36,1 e 36,4 graus. Essa temperatura aumenta ligeiramente quando o corpo libera um óvulo. Assim, é possível determinar o período mais fértil.

Como o app funciona

Karl Tapales via Getty Images

O Natural Cycles usa a temperatura medida por um termômetro basal supersensível (com precisão de duas casas decimais), que tem de ser comprado à parte. Aí o app diz se você tem de “usar proteção” (num círculo vermelho) ou e você “não está fértil” (verde). Para obter os melhores resultados, você deveria medir a temperatura pelo menos cinco vezes por semana e esperar três ciclos completos para que o programa entenda bem o seu ciclo pessoal. Se seus ciclos são irregulares, o app terá mais dificuldade de prever quando você está fértil e, portanto, vai ver mais dias “vermelhos”.

Usar métodos de “tabelinha” em geral é arriscado, diz Alan Cooperman, diretor da divisão de endocrinologia reprodutiva e infertilidade do departamento de obstetrícia, ginecologia e ciências reprodutivas do hospital Mount Sinai, de Nova York.

“Esses métodos são ineficazes aproximadamente de 20% a 25% das vezes quando se trata de prevenir a gravidez”, afirmou ele. Ou seja, uma em cada quatro pessoas que usam esse método vai acabar engravidando. “Pílula, DIUs, implantes, cirurgias e, é claro, camisinha são muito mais eficazes.”

Mas, de acordo com a FDA, o sistema da Natural Cycles é melhor que a antiga “tabelinha”. A agência diz que as falhas em casos de “uso perfeito” correspondem a apenas 1,8% dos casos, ou seja, somente 1,8% das mulheres que seguiram corretamente as instruções do app durante um ano acabaram engravidando.

No geral – incluindo casos em que as mulheres tenham eventualmente cometido erros no uso do app ―, o índice de falhas ficou em 6,5%, o que não é de todo mal em comparação com outros métodos anticoncepcionais.

Você deveria usar o método de acompanhamento como método contraceptivo?

10'000 Hours via Getty Images

Como você tem de medir corretamente sua temperatura corporal – ou checar o muco, ou saber exatamente a regularidade da sua menstruação ―, além de seguir a instruções com cuidado para obter bons resultados, muitos médicos são cautelosos na hora de recomendar o acompanhamento da fertilidade como único método contraceptivo.

“Realmente depende da paciente”, diz Schon. “Algumas têm ciclos muito regulares ou sabem ouvir bem seus próprios corpos, então pode ser razoável – desde que você esteja OK caso o método falhe e você venha a engravidar.”

Se você não quer engravidar de jeito nenhum, talvez seja o caso de usar algum outro método além do app. Algumas mulheres reclamaram de gravidez indesejada ou de muitos dias “no vermelho” usando o Natural Cycle.

Se você quer uma opção sem hormônios, considere um DIU de cobre – que tem taxa de sucesso de 99,9% e está pouco sujeito a erros da usuária.

“Métodos reversíveis e de longa duração, como o DIU, serão mais eficazes”, diz Schon. Mas ela nota que a eficácia de apps como Natural Cycle e Dot é “semelhante à da pílula”. (O Dot também teve sucesso nas pesquisas, relatando uma taxa de falhas de apenas 5% em março – mas ainda há dúvidas em relação à sua eficácia, e o app ainda não foi aprovado pela FDA.)

“Acho que [os apps] são uma opção razoável para pacientes motivadas e de ciclos regulares, que realmente querem evitar outros tipos de métodos anticoncepcionais”, afirma Schon. “Se as pacientes não querem restrições aos dias em que não podem ter relações sexuais, aí os apps não são uma boa opção.”

Se você está interessada em usar apps como contraceptivos, a FDA alerta que o Natural Cycles não é indicado “para mulheres cuja gravidez esteja associada a riscos significativos para a mãe ou para o feto” ou para mulheres que estão usando “contraceptivos ou tratamento que inibem a ovulação”. Antes de fazer qualquer escolha, converse com seu médico. 

Dito tudo isso, Cooperman diz que o Natural Cycles e outros apps que tentam misturar tecnologia com acompanhamento de fertilidade “empoderam as mulheres com conhecimento sobre sua biologia reprodutiva” – o que sempre é algo bom.

“Algumas mulheres acompanham a menstruação para determinar janelas de fertilidade, outras para saber quando são menores as chances de engravidar. Outras, ainda, simplesmente querem estar informadas sobre seus próprios ciclos reprodutivos.”

Informação nunca é demais quando se trata de escolhas reprodutivas, certo?

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.