ENTRETENIMENTO
04/09/2020 15:53 -03 | Atualizado 04/09/2020 15:54 -03

Almodóvar propõe cinema como 'tratamento' contra 'prisão' do lar no Festival de Veneza

“Esse texto de Cocteau sempre me fascinou, tanto que aparece também no meu filme ‘A Lei do Desejo'".

O novo filme do cineasta espanhol Pedro Almodóvar, The Human Voice (A voz humana”, em tradução livre), foi apresentado nesta quinta-feira (3) no Festival de Veneza, que acontece até 12 de setembro.

O curta-metragem de 30 minutos é inspirado em uma peça homônima de Jean Cocteau (1889-1963) e interpretado pela atriz britânica Tilda Swinton, homenageada com um Leão de Ouro honorário na abertura da mostra.

O filme faz parte da seleção de produções que não concorrem a prêmios em Veneza. Ao apresentar seu novo trabalho, Almodóvar destacou o papel da ficção para enfrentar o isolamento imposto pela pandemia do novo coronavírus.

“Antes de chegar aqui, estava pensando que a covid nos obrigou a ficar em casa, a qual vimos em certo momento como uma prisão. Quanta ficção nós vimos para preencher o tempo e o quanto a ficção nos ajudou?”, refletiu o cineasta espanhol.

“Por isso, proponho o cinema como tratamento: sair de casa para ir no cinema e compartilhar a aventura de um filme, emocionando-se no escuro ao lado de desconhecidos”, completou.

 

Em The Human Voice, uma mulher consuma o último telefonema com o homem que a deixou, primeiro humilhando-se e depois, tomada por orgulho, esforçando para voltar às palavras “te amo”.

Almodóvar faz uma leitura bastante pessoal do clássico de Cocteau, incluindo uma reformulação do texto para, segundo o cineasta, corrigir a “excessiva remissão da mulher abandonada” presente no original.

“Esse texto de Cocteau sempre me fascinou, tanto que aparece também no meu filme ‘A Lei do Desejo’, em uma cena muito breve, e em ‘Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos’. Esse telefonema e essa mulher solitária, assim como um cão também abandonado, formam uma situação dramática que sempre me interessou”, disse o espanhol.

Essa é a primeira aventura de Almodóvar em um filme gravado totalmente em inglês. “Queria reescrever o texto quase como se fosse um duelo [com o original]”, declarou.