COMIDA
14/08/2019 12:30 -03 | Atualizado 14/08/2019 12:45 -03

'Cocô dia sim, dia não': O que NÃO comer para seguir 'dica' de Bolsonaro e salvar o planeta

Já foi ao banheiro hoje? Então você está PROIBIDO de comer estes alimentos.

Montagem/Getty Images

Ambientalistas, ativistas, ONGs e até mesmo a ONU estavam errados sobre como salvar o planeta do aquecimento global. Foi o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que chegou à solução para acabar com a poluição ambiente: “é só fazer cocô dia sim, dia não”, disse na última semana após ser indagado por jornalistas sobre preservação ambiental em seu governo. “Melhora bastante a nossa vida”, completou a epifania. 

Sim, estávamos errados. Não é o desmatamento, não é a poluição do ar, rios e mares que estão aumentando a temperatura da terra, causando secas, derretimento de geleiras e tempestades cada vez piores. É, na verdade, o péssimo hábito de ir ao banheiro todo o santo dia. Mas agora chega disso, taokei? 

Se você quer seguir à risca os conselhos de Jair, o mais novo ambientalista (ou presidente do Brasil), lhe damos uma ajudinha. Citamos aqui alguns alimentos que você deve banir de seu cardápio para evitar que seu intestino funcione como deveria — ou seja, fazer cocô diariamente. 

Veja como seguir as dicas de Bolsonaro para salvar o meio ambiente:

Mamão hoje não

Nem pense nisso! A fruta de cor alaranjada, rica em vitamina A e C, betacaroteno e licopeno, além de cálcio e ferro, também é uma maravilha para regular o intestino. Ele é riquíssimo em fibras, que facilita o trânsito digestivo, e ainda tem enzimas anti-inflamatórias, que fazem bem a todo o trato intestinal. 

Aveia

O cereal é outro que deve ser evitado ao máximo — se você quiser um planeta melhor, nas palavras de Jair. A aveia diminui os níveis de colesterol, reduz o açúcar no sangue e ainda ajuda a combater o risco de doenças coronárias. Mas, por ser basicamente fibra, ela auxilia o bom funcionamento do intestino ― então, esqueça, você não pode mais comer!

Iogurtes e kefir

Iogurtes naturais e kefir têm bactérias e leveduras benéficas à saúde. Tais microrganismos ajudam a aumentar nossa imunidade, melhora a densidade óssea, combate doenças inflamatórias do cólon e câncer e desinflama o intestino. Por trás desses benefícios, você já sabe né? Ida ao banheiro na certa! Então, thank u, next!

Pães e massas integrais

Já diziam os nutricionistas que o primeiro passo para começar a comer saudável é substituir pães e massas de farinha branca por itens integrais, que contêm mais nutrientes. A farinha de trigo, normalmente, é mais refinada e acaba perdendo muitos nutrientes no processo. Já a farinha integral é menos processada e, portanto, contém mais vitaminas, minerais e... fibras, é claro! Por isso, já sabe: taca-lhe farinha branca. 

Brincadeiras à parte...

Após alguma ironia neste texto, é preciso deixar claro que, além de ser totalmente infundado, esse “conselho” também não faz bem à saúde e não é certo dizer que comer menos significa ir menos ao banheiro. A frequência com que você evacua durante o dia não tem a ver com o quanto você come, mas com vários outros fatores como a genética, dieta, exercícios e até sua saúde mental. 

Uma dieta rica em fibras e muita água, por exemplo, facilita o bom funcionamento do intestino. E isso faz muito bem à saúde. 

A maioria das pessoas acredita que a única função do intestino é conseguir evacuar, mas ele é muito mais que isso. Você sabia, por exemplo, que o bom funcionamento do intestino está diretamente ligado à saúde mental, por exemplo?

O intestino, ou “segundo cérebro”, tem neurônios (sim, temos neurônios “lá embaixo”) e aloja trilhões de bactérias, muitas delas envolvidas em processos cruciais para o organismo. Além disso, os neurônios intestinais são responsáveis pela produção da serotonina, molécula que regula nosso “bem-estar”. Cerca de 90% da serotonina é produzida no intestino. 

Já listamos no canal os melhores alimentos para o seu intestino.

Fazer cocô todo dia faz bem também ao meio ambiente

Como bem apontado pela revista IstoÉ, o presidente errou mais uma vez ao dizer que ir ao banheiro todos os dias polui o meio ambiente. Na verdade, o uso de fezes humanas em gerar energia já acontece em diversos países, como a China e até mesmo os Estados Unidos. 

O artigo cita, por exemplo, a empresa britânica chamada Borthumbrian Water, que utiliza nossos “número 2” para gerar gás e eletricidade desde 1996. 

“Fazer cocô faz bem. O problema é fazer isso verbalmente”, finaliza a revista.

Alguém avisa Bolsonaro, por favor?