COMIDA
18/08/2019 09:23 -03

9 alimentos que usam quantias absurdas de água para serem produzidos

São necessários mais de 5.600 litros de água para produzir uma barra de chocolate.

Uma estiagem grave afeta mais de 4,5% da área continental dos Estados Unidos. Os agricultores estão tendo dificuldade em impedir que as plantações sequem antes de ser colhidas, e ligar a irrigação pode agravar o problema.

A Califórnia, que produz dois terços dos legumes, frutas, nozes e castanhas consumidos no país, passou por uma estiagem que durou de 2011 a março de 2019. O Instituto Mundial de Recursos Naturais estima que mais de 25% dos alimentos do mundo são cultivados em regiões que passam por escassez hídrica grave (estamos de olho em vocês, amêndoas da Califórnia!).

“A mudança de hábitos que favorece o consumo de mais carne está se tornando um problema grave que intensifica a pressão sobre os recursos hídricos em todo o mundo”, explicou Heather Cooley, diretora de pesquisas da ONG Pacific Institute, que busca soluções para os desafios hídricos mundiais. “Precisamos pensar em como nossa dieta impacta o consumo de água.”

Alguns alimentos necessitam de muito mais água para ser produzidos do que outros, e nossa apreço por eles pode exacerbar os problemas de falta de água. Esses alimentos estão devorando um recurso natural que já é escasso.

Amêndoas 

Esse produto consome água em volume desproporcional. São necessários nada menos que 12 litros de água para cultivar uma única amêndoa. Com 526 mil hectares de pomares de amendoeiros na Califórnia, a amêndoa é a plantação cuja irrigação custa mais caro ao estado. As amendoeiras levam em média três anos para começar a dar frutos.

Justin Sullivan via Getty Images
Água é bombeada para um canal de irrigação numa plantação de amendoeiras em Firebaugh, Califórnia. Cada amêndoa requer 12 litros de água para ser produzida.

“Os produtos que crescem em árvores necessitam de água porque as árvores passam muito tempo sem dar frutos, mas precisam ser conservadas vivas durante esse tempo”, explicou ao HuffPost dos Estados Unidos a engenheira especializada em recursos hídricos e pós-doutora Anjuli Jain Figueroa.

Carne bovina

O volume de água que cada vaca toma (entre 34 e 75 litros por dia) é uma ninharia comparado aos 90 trilhões de litros de água usados anualmente para irrigar 23 milhões de hectares de pastagens e plantações nos Estados Unidos, incluindo terras usadas para cultivar grãos como milho e trigo, usados na ração para bovinos. O Serviço Geológico estima que são necessários 570 litros de água para produzir um hambúrguer de 110 gramas. O maior problema da carne bovina, explicou Figueroa, é a questão da escala.

“Aqui nos EUA dedicamos muita terra e muitos recursos naturais ao gado bovino”, ela explicou. “Reduzir seu consumo de carne bovina é uma coisa que você pode fazer para reduzir o consumo de água.”

Leite

Para que haja leite, é preciso primeiro que haja água. Os EUA têm mais de 9,4 milhões de vacas leiteiras. É preciso muita água para matar a sede delas e irrigar as plantações usadas para alimentá-las, disse Figueroa. Mais de 197 litros de água são consumidos para produzir cada copo de leite de 240 ml.

Cerveja

A água é o ingrediente principal da cerveja. Graças à paixão americana por uma geladinha, a indústria americana da cerveja vendeu mais de 2,8 bilhões de engradados de cerveja em 2018. 

Joe Amon via Getty Images
Em 2018 a MillerCoors reduziu seu consumo de água em 22%.

As cervejarias estão começando a procurar oportunidades para reduzir sua pegada hídrica. A Full Sail Brewing, do Oregon, reduziu seu consumo de água para menos de 11 litros de água por 3,8 litros de cerveja (menos que a metade da média do setor). Em 2018 a MillerCoors, que produz as cervejas Coors Light e Miller 64, virou a primeira cervejaria do mundo a conquistar uma certificação da Alliance for Water Stewardship, graças a seus esforços para reduzir sua pegada hídrica em 22%.

Café

São necessários 133 litros de água para cultivar café suficiente para uma única xícara da bebida. Antes de serem colhidos os frutos maduros, o cafeeiro cresce cerca de cinco anos até chegar a seu nível máximo de produção. Para complicar a situação, as regiões cafeeiras de países como Etiópia, Uganda, Brasil e Vietnã vêm passando por estiagens, colocando a safra de café em risco. Segundo um estudo recente, a previsão é que até 2050 a mudança climática reduza em 50% as terras apropriadas para o cultivo do café.

“Temos que levar em conta não apenas a água usada para o cultivo do café”, disse Cooley. “Também se gasta muita água no processamento dos grãos, desde os grãos crus até sua lavagem e torrefação.”

Chocolate

Antes de dar uma mordida numa barra de chocolate de 230 gramas, pense no seguinte: para produzir essa delícia são usados mais de 5.600 litros de água. Como o cafeeiro, o cacaueiro leva vários anos para começar a produzir. Boa parte do cacau vem de países da África Ocidental, como Gana, Nigéria e Camarões, onde os recursos hidricos são escassos. Boa parte da água é usada no processo de produção, não no processamento que levará ao produto acabado. 

Arroz

O arroz é cultivado em campos alagados; 12 centímetros de água são jogados sobre os arrozais para conservar as raízes molhadas, e as sementes voltam a ser mergulhadas na água antes de ser transportadas. Pelos métodos de cultivo convencionais, são precisos até 1.250 litros de água para produzir cada meio quilo de arroz, segundo números do Instituto de Engenheiros Mecânicos.

NurPhoto via Getty Images
Agricultores nepaleses trabalhando em arrozais em Dakshinkali, Katmandu, Nepal. Devido à escassez de chuvas, os arrozais são regados com água bombeada de uma fonte próxima.

Novos métodos de cultivo que incluem semear o arroz em canteiros elevados, em lugar de arrozais alagados, aumentar o espaçamento e a aeração do solo, podem reduzir em 30% a 50% a água necessária para a produção e ao mesmo tempo elevar a produtividade. Essas práticas podem ser especialmente importantes em países como a Índia, que passa por uma crise hídrica grave e possui a maior área mundial ocupada pelo cultivo do arroz.

Aves

Fontes proteicas como a carne de frango e peru têm pegada hídrica menor que a da carne bovina, mas, segundo Figueroa, “a maioria das pessoas ainda se surpreenderia com o volume de água necessário para produzir carne de aves”. Tanto assim que para cada meio quilo de carne de frango produzido são necessários 1.900 litros de água. A maior parte da água é usada no cultivo de grãos para alimentar as aves.

Açúcar 

A notícia amarga é que é preciso muita água para cultivar cana-de-açúcar. Essa gramínea cresce nos trópicos e subtrópicos, incluindo a Flórida, Louisiana e Texas, e, depois de colhida, passa por um processo de extração que a converte em açúcar refinado. Cada colher de sopa cheia de açúcar requer mais de 3,8 litros de água para ser produzida.

“Um fato interessante é que um produto alternativo usado nos EUA, o xarope de milho, com alto teor de frutose, usa menos água em sua produção e tem custo mais baixo. Mas a monocultura de milho cria seu conjunto próprio de riscos ambientais”, disse Figueroa.

É claro que não é preciso abrir mão de todos seus alimentos favoritos se você quiser contribuir para reduzir as estiagens. Em vez disso, sugeriu Cooley, seria bom tomar decisões informadas para reduzir sua pegada hídrica pessoal. Segundo ela, “nossas escolhas fazem uma diferença”.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.