COMIDA
13/04/2019 08:00 -03

Um drink forte por dia pode aumentar os riscos de derrame, sugere estudo

O álcool não só aumenta a pressão arterial como também pode levar ao ganho de peso e problemas no fígado, alertaram os pesquisadores.

É a notícia que você definitivamente não quer ouvir no fim de semana: 1 ou 2 drinques mais fortes por dia podem aumentar o risco de derrame, segundo um novo estudo.

Apesar de pesquisas prévias sugerirem que beber com moderação pode ter efeito positivo, o novo estudo rejeita essa conclusão.

Consumir 2 drinques por dia pode aumentar o risco de derrame em até 15%, em comparação com as pessoas que não bebem, segundo estudo publicado pela revista The Lancet.

Debby Lewis-Harrison via Getty Images
Drinques diários devem ser evitados.

Foram analisados mais de 160.000 homens e mulheres chineses. O estudo foi realizado pelas universidades de Oxford e Pequim, além da Academia Chinesa de Ciências Médicas. Os participantes responderam a questionários sobre o consumo de álcool e foram acompanhados por até 10 anos.

Variações genéticas das populações asiáticas significam que certas pessoas são menos tolerantes ao álcool – o que se manifesta por bochechas coradas ―, o que as leva a beber menos. 

Mas outros fatores, como nível de formação escolar e de atividade física, não são diferentes entre esses grupos genéticos diversos. Isso permitiu que os cientistas comparassem o risco de derrame entre populações com diferentes níveis de consumo alcoólico, mas fatores de risco similares.

A pesquisa indicou que, entre os homens, fatores genéticos que reduzem o consumo de álcool também reduzem a pressão arterial e o risco de derrames.

O álcool aumenta em cerca de um terço (35%) o risco de derrame para cada 4 drinques extra por dia, em comparação com os abstêmios. Quem bebe moderadamente – 1 ou 2 drinques por dia – apresentou risco entre 10% e 15% mais alto.

Zhengming Chen, professor da Universidade de Oxford, afirmou: “O álcool não representa proteção contra o derrame. Até mesmo o consumo moderado aumenta os riscos de derrame.” Ele acrescenta que os resultados não são tão claros no que diz respeito à saúde cardíaca.

Os autores acreditam que os resultados se aplicam a homens e mulheres de todo o mundo.

Kate Holmes, diretora-assistente de pesquisas da Stroke Association, diz que o estudo ajuda a “desmistificar” a ideia de que o álcool em moderação reduz as chances de derrame.

O álcool não só aumenta a pressão arterial como também pode levar a ganho de peso, batimentos cardíacos irregulares, diabetes e problemas no fígado.

“Nossa recomendação é sempre tentar reduzir o consumo de álcool”, afirma Holmes. 

Um porta-voz do Alcohol Information Partnership afirmou: “Incentivamos as pessoas a tomar decisões sensatas e informadas sobre a bebida, com base nas evidências e em suas próprias circunstâncias. O consumo de álcool vem caindo no Reino Unido há mais de uma década, e maioria das pessoas segue as diretrizes do governo [no máximo 14 unidades de álcool por semana, tanto para homens quanto para mulheres].”

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost UK e traduzido do inglês.