NOTÍCIAS
12/06/2020 14:50 -03

Alcolumbre devolve ao Planalto MP que permitia nomeação de reitores temporários

De acordo com apuração da CNN, pesou na decisão de Alcolumbre mensagem enviada por Flávio Bolsonaro.

SERGIO LIMA via Getty Images
“Cabe a mim, como presidente do Congresso Nacional, não deixar tramitar proposições que violem a Constituição Federal. O Parlamento permanece vigilante na defesa das instituições e no avanço da ciência”, disse o presidente do Congresso.

O presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou em sua conta no Twitter nesta sexta-feira que devolveu ao governo do presidente Jair Bolsonaro a medida provisória que permitia a nomeação de reitores temporários para universidades federais por entender que viola princípios constitucionais.

“Acabo de assinar o expediente de devolução da MP 979, que trata da designação de reitores, por violação aos princípios constitucionais da autonomia e da gestão democrática das universidades”, disse Alcolumbre em sua conta no Twitter.

“Cabe a mim, como presidente do Congresso Nacional, não deixar tramitar proposições que violem a Constituição Federal. O Parlamento permanece vigilante na defesa das instituições e no avanço da ciência”, acrescentou.

De acordo com a CNN, pesou na decisão de Alcolumbre uma mensagem enviada pelo filho 01 do presidente, senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), em um grupo de senadores. No texto, ele diz, segundo a CNN, que a responsabilidade do “resultado vexatório” de produção das universidades “vem da escolha ‘democrática’ de reitores por sindicalistas e núcleos ideológicos de extrema esquerda”. 

“O que estão produzindo nossas universidades federais com dinheiro do contribuinte? Responsabilidade grande do resultado vexatório delas vem da escolha “democrática” de reitores por sindicalistas e núcleos ideológicos de extrema esquerda”, afirmou Flávio, segundo a CNN. “Defender um modelo comprovadamente errado, que nunca nos deu um Nobel sequer, por causa da pessoa do ministro não me perece democrático”, seguiu.

O texto enviado pelo governo ao Legislativo permitia a nomeação pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, de reitores temporários para universidades federais durante a pandemia de Covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus.